autores populares da semana

artes

  • a literatura da distopia
    Foram necessários romances que mostravam bárbaros regimes totalitários, fábulas com porcos, gangues violentas, controle biológico, uso indiscriminado de drogas e queima de livros para finalmente entendermos como era impraticável o modelo de ...
  • as pinups de rolf armstrong: brilho no corpo, alegria no coração
    Rolf Armstrong foi um artista americano que sempre se encantou pelo brilho da sociedade e pela beleza das pessoas, principalmente a das mulheres. E é nesta combinação de gostos que surgem as suas famosas pin-ups: um hino ao carácter feminino ...
  • andreas verheijen: engenheiro de flores
    Antúrios, gerberas, girassóis e margaridas. Lírio-do-amazonas, da-chuva e tigrado. Hortênsias, junquilhos e cravos. Gramas, musgos, galhos e ramos. Quiçá um pedaço de arame para, em mãos encantadas, revelar o segredo que une flores, homens e ...
  • + artes, arte moderna

cinema

 

música

  • bob dylan: homem ou mito?
    Começou compondo folk tradicional, eletrificou este gênero e mudou para sempre a maneira de escrever letras para a canção – até então, artigo de segunda grandeza na oficina do pop. O cara que escreveu "Like a Rolling Stone", o hit mais ...
  • renato russo: poeta da emulação
    "Em 2016, quando lembramos dos 20 anos do falecimento de Renato Russo, juntamente com a celebração de um grande cantor e letrista, precisamos reconhecer sua potência literária. Poucos de nossos compositores enxergaram no método da ...
  • que outras bandas aprendam a envelhecer como o rush
    Mais de quatro décadas de carreira. Uma discografia extensa e repleta de momentos sublimes. Incursão por diferentes e variados estilos. Rock Progressivo? Talvez, pois esta definição soa um pouco limitada, ao meu ver, quando falamos de Rush. O ...
  • + música

sociedade

  • descobrir-se gay em um meio evangélico
    Por muito tempo, a vergonha e o julgamento fizeram deste caminho de aceitação uma via crucis solitária. Neste tempo em que vivemos, é preciso apagar, de uma vez por todas, a fogueira da inquisição que ainda arde e destrói psicologicamente ...
  • porque a morte de domingos doeu em mim
    Quando morrer é tão inevitável quanto viver, quando a doença, a dor, nos matam pouco a pouco a morte é aceita, desejada. Vem vestida de descanso. Quando morrer significa deixar livros pela metade, sonhos inacabados e filhos por criar, quando a ...
  • repara bem no que não digo
    O mundo não precisa do barulho da nossa ira e indignação, o mundo não precisa saber tudo o que pensamos, que nos empenhemos em desprender tanta energia em explicar o óbvio. O mundo não precisa de nossos textões e lições de moral. O que o ...
  • + sociedade

recortes

literatura

arquitetura

tecnologia

Site Meter