a aerodinâmica das palavras

O Mundo nas Asas da Arte

Eduarda Amaral

A Arte nos permite brincar com a realidade. Desconstruir verdades estagnadas, colorindo-as com novas cores. Psicóloga, Mestre em Relações Internacionais e Especialista em Políticas Públicas, apaixonada por cinema, musica, fotografia e gente .

Quando meninas más fazem coisas boas: Lady Gaga e sua campanha a favor da aceitação corporal, do amor e da tolerância

Em outubro de 2016, Gaga lançou seu mais recente álbum, Joanne. Este artigo, contudo, falará sobre as causas sociais que ela tem defendido, desde sua corajosa campanha de conscientização contra a Bulimia/ Anorexia ao lançamento de uma linha de vestuário tendo como tema o amor e a coragem.


capa otima .jpg

Sempre achei que pessoas com projeção pública – como artistas, escritores, empresários – deveriam usar a sua influência para divulgar causas que fossem úteis à sociedade, já que suas ideias têm grande peso para o seu público.

No caso da Arte, penso que a influência do artista pode ter um caráter muito interessante, dado que, em geral, ela afeta o público de forma subjetiva, por meio de sua sensibilidade, mexendo, diretamente, com seus sentimentos.

Foi, justamente, por meio de uma de suas canções, em 2009, anos antes de ela assumir a sua bulimia, que a preocupação desta cantora com a conscientização corporal me chamou a atenção. Modificou-se, então, a imagem que fazia dela como somente uma pessoa fútil, constantemente relacionada a escândalos e a se promover por meio de comportamentos bizarros.

Na letra aparentemente simples de Dancing in the Dark , Gaga realiza análise sofisticada de como a pressão social por um corpo perfeito pode ser cruel com as pessoas. A trama principal desta música fala de uma mulher que ama dançar, mas que por causa das frequentes críticas do namorado quanto ao seu corpo, ela só dança no escuro.

A narrativa principal é intercalada por pequenos metatextos que falam ora sobre procedimentos estéticos, ora acerca de mulheres célebres que sofreram pressão social e tiveram mortes trágicas. Menciona Lady Di que, segundo relatos da Midia, sofria de bulimia. Cita, também, Marilyn Monroe, a mulher que se fez de mulher objeto para agradar a um determinado público daquela época.

Ao Los Angeles Times, Gaga explicou que esta música se referia a uma mulher que só conseguia ter relações sexuais com seu parceiro com a luz apagada. Que sua letra fala simbolicamente de como as pessoas não conseguem lidar com a sua ansiedade interna, e acabam projetando ela para caraterísticas externas .

Apesar de todos sabermos dos sérios danos à saúde física, emocional e psicológica que o culto a um modelo social de corpo considerado perfeito podem acarretar, a pressão social exerce forte estimulo para que as pessoas desejem modificar seus corpos para serem aceitas, pelos outros, e por elas mesmas.

Em 2012, Lady Gaga mostrou que a sua coragem não se limitava a criar visuais e atitudes extravagantes para chocar o seu público, seguindo o receituário de megastar de Madonna.

Ao ser criticada por ter ganho muito peso, a cantora estadunidense revelou para o público que sofria de anorexia e bulimia desde os 15 anos, tendo a coragem de assumir um ativismo que atinge diretamente sua vida particular. Assumindo, publicamente, um problema que muitas pessoas que têm estes transtornos alimentares têm a vergonha de confessar mesmo para as pessoas mais íntimas.

lady Gaga mais gordinha .jpg

A anorexia é uma desordem alimentar caracterizada pela perda excessiva de peso, ocasionada pela recusa (intencional ou não) da pessoa em se alimentar. As pessoas com anorexia vivem em constante luta contra o próprio corpo e contra a satisfação psíquica e corporal acarretada pela ingestão de alimentos. Frequentemente, controlam o peso corporal por meio de algumas ações que prejudicam a saúde, como inanição voluntária, purgação, vômitos, excesso de exercício, pílulas para emagrecer ou medicamentos diuréticos.

Ela afeta principalmente adolescentes do sexo feminino no mundo ocidental e, entre os transtornos psiquiátricos, tem uma das taxas de mortalidade mais altas, com aproximadamente 10% das mortes entre as pessoas diagnosticadas. É uma doença complexa que sofre influência de componentes psicológicos, neurobiológicos e sociológicos

Transtorno alimentar também muito grave, a bulimia consiste em distúrbio alimentar caracterizado por episódios de ingestão exagerada de alimentos, com um sentimento de perda de controle sobre a alimentação, e episódios de vômitos ou abusos de laxantes para impedir o ganho de peso. Anorexia e bulimia podem se manifestar de forma isolada ou combinada.

A obsessão pela busca do “corpo perfeito” mina a autoestima das pessoas diariamente, e o modelo de magreza acentuada já se tornou um sinônimo de beleza e bem-estar socialmente referendado. Frequentemente, vemos pessoas extremamente insatisfeitas com seus corpos somente por que eles não atendem a padrões de magreza socialmente impostos. Vemos pessoas se privando de alimentos que gostam simplesmente por que desejam permanecer esquálidas, por considerarem que esta é a única forma de serem aceitas por uma sociedade adoradora de corpos extremamente magros.

O que nos chama a atenção, não é a busca de uma imagem corporal saudável, ou a escolha de alimentos mais nutritivos, mas, sim, a obsessão por se enquadrar em um modelo preestabelecido , que , em grande parte das vezes, não tem nada a ver com o biótipo da pessoa, ou com às suas necessidades corporais e emocionais.

A Mídia bombardeia cotidianamente o público com imagens de seres humanos perfeitos, que se tornam modelos para pessoas comuns, que no seu dia-a-dia tem de aceitar sua imagem na íntegra, sem edições. Na Internet, há diversos sites que estimulam pessoas interessadas em praticar a anorexia e a bulimia. Neles, evidencia-se a tristeza e o desespero de pessoas que por não aceitarem o próprio corpo , buscam formas perigosas para adequá-lo a uma imagem mental distorcida.

Neste contexto, os distúrbios alimentares ligados à magreza adquirem nova dimensão e a importância de combatê-los também.

Naquela época, Gaga lançou em sua página de internet Little Monsters (Pequenos Monstros) uma iniciativa chamada Body Revolution, na qual convida os fãs a postarem fotos mostrando seus corpos verdadeiros, a “abraçarem” às suas imperfeições.

capa.jpg

A cantora divulgou fotos sua de calcinha e sutiã em seu site , com a seguinte mensagem: "Para todas as garotas que pensam que são feias porque não usam um manequim 36: vocês que são as bonitas. É a sociedade que é feia. “

Esta campanha teve grande repercussão. Os fãs não apenas acolheram a confissão de Gaga, solidarizando-se com a cantora por meio de mensagens, como também postaram fotos de seus corpos reais, sem edição. A campanha ganhou a adesão tanto de indivíduos com distúrbios alimentares, como também de pessoas com outras características geralmente consideradas como fora dos padrões de beleza convencional.

body revolution 5.png

body revolution 4.png

body revolution 10 .png

tatoo .jpg

Muitos postaram fotos afirmando que se sentiram motivados pela cantora a mostrar singularidades de seus corpos que não tinham a coragem de exibir antes. Criou-se um espaço peculiar no qual o corpo humano foi acolhido como algo positivo e natural, no qual as pessoas se acharam confortáveis para mostrar suas vulnerabilidades, sem o temor de serem rechaçadas.

Um espaço distinto, bem diferente daquele das capas de revistas, que nos diz que só seremos amados se formos perfeitos. Um lugar no qual as pessoas puderam compartilhar com uma grande celebridade um temor que todos nós temos: o de nos apresentarmos para os outros com as nossas "imperfeições".

o-GAGA-BODY-REVOLUTION-facebook.jpg

No início de 2016, em parceria com Elton John e com a loja de departamentos Macy's, Gaga lançou a linha de roupas e acessórios Bravery and Love, que tem como tema o combate ao preconceito e o incentivo ao amor. Vinte e cinco por cento do valor arrecadado com as vendas será revertido para as instituições de caridade deles.

Mode-solidaire-La-collection-contre-le-Sida-de-Lady-Gaga-et-Elton-John.jpg
love and bravery one .jpg

Abaixo, um Must See vídeo da Grandma Gaga, uma senhora de 86 anos, completamente adorável, mostrando alguns produtos que ela comprou desta coleção.

Para muitos, estas campanhas de Gaga não passam de estratégias publicitárias para cativar fãs.

Acredito, porém, que há sempre pontos de vista distintos – como em tudo na vida - acerca das atitudes das pessoas públicas. Para mim, já que os artistas podem influenciar profundamente seu público, é melhor que eles transmitam mensagens positivas do que incentivos a comportamentos destrutivos. As campanhas de Gaga parecem refletir uma constante luta interna por auto aceitação e a busca por um caminho próprio. Se ela oferece apoio aos seus fãs, parece, ao mesmo tempo, buscar aurir forças deles.

Outro aspecto interessante a lembrar é que a sociedade estadunidense possui uma cultura de filantropia muito forte . Os Estados Unidos apresenta o maior numero de doações no mundo. Assim, se para nós brasileiros, ações como as de Angelina Jolie e de Gaga podem parecer estranhas. Naquele país,todavia, elas são comuns entre pessoas de alta renda.

Talvez, devamos simplesmente aceitar que as pessoas são guiadas por interesses múltiplos, não são perfeitas, e que, mesmo dentro de suas limitações, podem fazer coisas muitas boas para os outros e para a sociedade, em geral.

quote-i-think-tolerance-and-acceptance-and-love-is-something-that-feeds-every-community-lady-gaga-10-49-01.jpg


Eduarda Amaral

A Arte nos permite brincar com a realidade. Desconstruir verdades estagnadas, colorindo-as com novas cores. Psicóloga, Mestre em Relações Internacionais e Especialista em Políticas Públicas, apaixonada por cinema, musica, fotografia e gente . .
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/lifestyle// @obvious, @obvioushp, @obvious_escolha_editor //Eduarda Amaral