Karoline de Carvalho

Uma pessoa cada dia mais convicta de que precisa ser mestre, doutora e phd na busca por ser alguém melhor.

O jardim secreto

Um conto para percorrer os caminhos da alma, coração e espiritualidade. Peço uns minutinhos do seu tempo. Garanto que se sentirá mais leve depois de ler. Desde já, agradeço sua atenção.


jardim.jpg

Margaridas, rosas, passarinhos a todo instante e o céu azul. Assim era o jardim secreto da minha juventude. Hoje, meus pés cansados já não percorrem a imensidão daquele lugar que foi ficando cada vez mais presente, conforme a passagem da minha vida. A você, querido leitor, desejo que percorra esta narrativa com o coração aberto para sentir as boas sensações da vida. Quando se chega à velhice parece que os sentidos, tornam-se locomotivas cansadas por tantas viagens, mas "apuradas" pelas diversas passagens e lugares. Quando se tem 95 anos como eu tenho agora, o corpo é frágil como as pétalas de uma rosa. Querem saber como descobri o jardim secreto no porão da minha casa? Já estou em minha cadeira de balanço, acomodando minha coluna cansada para abrir o caminho desta história com vocês. Era 01 de abril, e eu estava muito infeliz comigo mesma. Aquele velho ritual de adolescente em crise. Fui batizada com o nome de Minervina. Como eu odiava ser chamada assim! O porão era meu lugar favorito da casa. Junto dos livros, do silêncio e da solidão eu era mais feliz. Nesta viagem, caro leitor, eu contarei a minha história. Falarei de mim apenas. Eu sou a personagem e filha única deste texto. Nesta narrativa lembrarei de mim e ninguém mais. Bem, estava eu envolta pela Literatura e ao distanciar a cadeira da mesa, me vi caindo em um buraco bem fundo.Em meio àquela escuridão vi um ponto de luz envolto no cadeado. Bem ao lado da luminosidade eu conseguia enxergar um bilhete e uma chave. No papel eu consegui ler:"Minervina querida, este é seu jardim secreto, seu lugar de encontro com Deus e os anjos".

paisagem-do-jardim-de-rosas-965709 outra.jpg

Em minha adolescência eu pensava em Deus como uma divindade bem distante, que eu não conseguia alcançar. Ali, eu estava diante de um Deus amigo e que me presenteava com um jardim só meu. Abri eufórica aquela porta de madeira tão envelhecida e me deparei com um cenário de ilustrações de conto de fadas. Flores, borboletas, uma água límpida e frutas de tantas cores e sabores. Fiquei inebriada por tanta vida, tanta luz, tanta cor. Eu que era apagada tornei-me luminosa com toda aquela beleza ao meu redor. Aquela jardim foi meu porto seguro em tantas fases da minha vida. Deus quis me mostrar a beleza da vida através de um jardim secreto. Na minha juventude eu só conseguia ver beleza estando lá. A maturidade foi chegando e a porta do meu jardim secreto não abria em todas as vezes que eu girava a chave pela fechadura. Nestes momentos meu anjo da guarda vinha ao meu lado e dizia sempre: "Minervina, é hora de ver a beleza do jardim no seu mundo". Ficava tão contrariada, mas logo os dias passavam e eu compreendia a mensagem do meu sábio anjo. Certa vez, eu estava impedida de entrar no meu jardim secreto e ,dias depois, compreendi que a beleza a qual precisava vivenciar estava no mundo. Aproveitei o tempo livre sem meu querido jardim para visitar uma amiga. Que feliz encontro aquele! Dias depois, fui surpreendida com a notícia que ela havia morrido. Deus me fez enxergar naquele momento a beleza do encontro, a necessidade de aproveitar a presença e a companhia do outro. Após este acontecimento, sempre fui cultivando com muito zelo as pessoas que eram jardim na minha vida. Quando fiz 50 anos fiquei muito melancólica, imaginando todas as pessoas querida que haviam morrido. Refleti naquele instante que viver implica perdas e partidas. Senti a necessidade de me refugiar no meu jardim secreto. Estando lá fui apresentada pelo meu anjo da guarda a mais dois anjos: anjo Miguel e anjo Gabriel. Miguel é o protetor contra todos os males e Gabriel o anunciador das boas novas. B9940.jpg

Saindo de lá meu anjo da guarda me conduziu até a porta e disse baixinho:"Minervina, quando se tem Deus como condutor da vida nunca se está sozinho. Siga em frente!". Ao ouvir estas palavras pude ver claramente o poder de consolo, que a fé exerce na vida de alguém que tem Deus no seu coração. Passou um tempo e necessitei fazer exames de rotina. Qual foi minha surpresa quando constatei a presença de um nódulo no meu seio. O médico me advertiu que era um câncer em estágio inicial. Fiquei meses sem ir ao meu jardim. A rotina do tratamento começou e no decorrer de todo o processo, percebia que na verdade aquela doença me permitiu tratar um câncer que eu coloquei dentro de mim: a falta de perdão. Na quimioterapia fiquei fraca em demasia, por isso precisei ser amparada e acolhida por amigos e familiares. Na doença eu percebi que não se pode viver só. Por incrível que pareça o câncer me obrigou a resgatar minha vida social. Chegou o meu aniversário de 55 anos e eu estava curada. No dia do meu aniversário, dediquei boa parte do tempo para contemplar meu jardim. Ao chegar lá fui apresentada a mais um anjo: era o anjo Rafael, o anjo responsável pela cura. O bom anjo Rafael me explicou que certas doenças no corpo são geradas pela dureza no coração. O câncer veio purificar o meu espírito para amar e ser amada. Quando eu estava doente precisei aceitar o auxílio e acolhimento das pessoas, por isso fui mais feliz. Após o câncer eu me vi mais amiga dos meus. Visitar as pessoas queridas e familiares tornou-se um hábito constante e que me rendia muitas alegrias. Percebi com a sensatez que a maturidade traz que, eu era muito mais mansa e dócil com os amigos do que com meus irmãos. Tomei como exercício rumo aos 60 anos me tornar uma irmã melhor e mais próxima. Muitas vezes, a nossa ausência machuca e maltrata o coração do outro. Pensando nisso convidei minha irmã para uma tarde de compras. Fiz uma lista com os presentes que eu precisava dar, já que o Natal era próximo.Para minha grande alegria minha irmã chegou pontualmente e pudemos passar a tarde juntas. A noite estava chegando, com isso nos apressamos para concluir as compras.Faltava uma loja apenas para visitar. Ufa! Que dia produtivo! Ao atravessar a rua minha irmã segurou firme minha mão. Como esse gesto foi impactante! Era como se ela tivesse feito um afago no meu coração. Antes de dormir refleti que em muitos momentos impedimos o encontro das mãos pelo nosso distanciamento. Como foi bom atravessar a rua de mãos dadas com minha irmã. Mãe-e-filha-de-mãos-dadas.jpg

Mal podia acreditar. Meus 70 anos haviam chegado. Como passou depressa! Como a vida é passageira! Como você tem aproveitado o seu tempo, querido leitor? Aos 70 eu adquiri um espírito crítico gigantesco em relação aos meus defeitos e incompletudes. Uma fase escura e pesada de não me suportar, não aceitar meus erros, tropeços e limitações. Em um destes dias de desconforto comigo mesma,fui até meu jardim milagroso. Logo na entrada deparei-me com uma mulher linda, vestida em trajes simples, mas que se tornavam luxuosos pela imensa luz que me envolvia. Ela estendeu-me suas mãos e disse-me:"Minervina, eu sou Maria, a mãe de Jesus. Vim conversar com você sobre as inquietudes do seu coração." Maria explicou-me que é preciso ter paciência consigo mesma, e que a verdadeira cura interior dura por toda vida.Aquela piedosa e modesta mulher me explicou que devemos ser compassivos com o nosso caminho de evolução pessoal.Quando eu estava perto de sair do jardim, Maria me pediu para utilizar a oração como uma ferramenta constante na minha vida. Daquele dia em diante passei a rezar por mim mesma. Percebi que a oração me deixava em paz. Aos 80 anos me tornei avó. Que grande alegria senti ao segurar minha neta pela primeira vez. Aquela criança me fez enxergar que a vida se renova. Ser avó me fez rejuvenescer através do convívio com aquela menina que tinha a vida pela frente. Minha neta muito me ensinava com sua pureza e inocência de criança.

ob.jpg

Foi promovido um encontro do meu círculo de amizade e resolvi ir. Quando se tem 80 e poucos anos não se pode perder a oportunidade de rever pessoas queridas, afinal não sabemos até onde permaneceremos vivos. Na minha juventude fui uma jardineira do ressentimento. Como eu gostava de me fazer de vítima e culpar os outros quando não atendiam minhas expectativas. Sendo amiga inseparável da mágoa acabei cultivando sentimentos mal resolvidos dentro de mim. A grande amiga da minha vida chama-se Pérola. Distanciamo-nos por décadas e essa separação me trouxe uma indisposição sempre que a via. O câncer me trouxe a capacidade de perdoar. Como sou grata por essa enfermidade que me curou a alma.Estando neste encontro eu me deparei com Pérola. Desta vez, vê-la não me causou nenhum impacto negativo. Quando percebi estávamos envoltas em um longo abraço, que me fez chorar incontrolavelmente. Naquelas lágrimas eu percebia o perdão sendo afirmado naquela relação, que eu afastei de mim pela mágoa. Depois do abraço conversamos até o salão ficar vazio.Perdoar deixa a vida mais leve. Não perca tempo, nobre leitor! Não deixe para amanhã o perdão que você pode dar hoje. poesia.jpg

Meu querido leitor, eu agradeço por ter percorrido atentamente esta narrativa. Falei tudo com meu coração espero ter alcançado a sua alma. Sinto-me lisonjeada por estar com meus 95 anos vividos. Como você pode perceber as dores podem se transformar em um lindo jardim se nos permitimos amar, perdoar, e viver a vida com fé. O jardim continua lindo e encantador. Agora é minha neta Catarina que o percorre todos os dias. Minhas pernas estão muito cansadas e sinto que assim como esta narrativa, estou chegando no fim da vida. Antes de me despedir de você, querido leitor, convido sua mente para pensar em todos aqueles que deixou de amar no meio do caminho. De repente você deixou seu casamento ir morrendo pela sua falta de perdão. Pode ser que o seu jardim secreto esteja dentro da sua casa, mas você não o vê pelo seu egoísmo. Feche seus olhos e peça que o Divino Espírito Santo lhe conceda o dom de perdoar. O perdão é divino! texto.jpg


Karoline de Carvalho

Uma pessoa cada dia mais convicta de que precisa ser mestre, doutora e phd na busca por ser alguém melhor..
Saiba como escrever na obvious.
version 4/s/literatura// @obvious //Karoline de Carvalho