a montanha

Subindo; sempre em frente, seguem, os aprendizes e amantes da vida

Victor Muniz

Relaxe, seja bem vindo e sinta-se a vontade! O espaço é nosso caso deseje.

Desconsidere esse texto (Divido meu chá)

\\Sobre a injustiça inter-pessoal, a correria, o amor (Se é que sobre posso falar) e o chá. Resumindo, uma bagunça básica. Leia como textos individuais ou reclame nos comentários.\\
O mundo é justo, ao contrario do que muitos pensam mas nesses tempos de superficialidades e correria excessiva tudo conspira para que continuemos caminhando dessa forma, como fantasmas esfomeados pelas calçadas sujas. Porém, tenha em mente: O amor é uma escolha quando partindo do pressuposto de que já se tem uma grande empatia pelo outro!
...
Divida seu chá!


turkishtea.jpgImagem retirada do Google Imagens

Sobre a Injustiça: O mundo é justo, ao contrario do que muitos pensam. Nós quem nos injustiçamos quando damos valor e importância demais, quando nos esforçamos demais ou sonhamos demais. Não por dar valor, importância ou por nos esforçar ou sonhar e sim por ter o “demais” como advérbio após essas palavras. O equilíbrio é necessário para que o equilíbrio exista. Óbvio? Então pare e pense: Se você faz tudo demais de forma descontrolada, pesa mais pra algum lado, correto? Ou para o seu ou para o dos outros. Como espera equilíbrio do mundo se suas ações e modo de viver são descontrolados, desmedidos? Esperar que dê certo não leva a resultado positivo algum se não fazes por onde.

Outra parte de nossa injustiça conosco é que injustiçamos terceiros também, geralmente desprezando e maltratando por motivos e dores próprias que nós mesmos nos causamos. Resumindo, falta de amor próprio é nossa injustiça conosco e com o mundo, por culpá-lo pela não fluência da vida de forma agradável.

Sobre a vida urbana: Nesses tempos de superficialidades e correria excessiva tudo conspira para que continuemos caminhando dessa forma, como fantasmas esfomeados pelas calçadas sujas. Frieza, desapego e relações “velocidade da luz” são venerados como deuses, governantes de todo o tipo de contato inter-humano. Talvez existam muitos ETs entre nós, pessoas que fogem sempre que possível desse fluxo insano que serve apenas para influenciar compra e venda de produtos e superficialidade. Felizmente, ao mesmo tempo caminha a liberdade do amor, que vem de fato crescendo bastante em últimos tempos. Apesar de muitas pessoas acharem que isso significa poder ficar com todo mundo ou coisas do gênero (O que realmente podem), o real sentido é outro, ou deveria; O poder amar sem pudores e sem medos.

É possível entender facilmente o porque de algumas pessoas se manterem nessa teia de “não envolvimento” até porque quem se envolve sabe muito bem que muitas vezes o final não se dá para tomar de canudinho com um lindo fim de tarde ao horizonte mas isso só acontece porque teimam em continuar essa cadeia. Sempre nos aparece a vista alguém com o tesão de amar ou gostar, se entregar, e esses geralmente são destratados por “sentirem demais” ou pelo outro não querer se envolver, o que é mais trágico. Não amar por medo, dá até vontade de rir disso as vezes. Esses acontecimentos deixam pessoas despreparadas ou cansadas mais ríspidas.

sunset-silhloutte.jpgImagem retirada do Google Imagens

Sobre o Amor: Este não é um sentimento que simplesmente surge como a paixão. Também, gostar não é uma escolha, amar é. Amar é dar seu máximo sem se desrespeitar ou ao outro, a escolha de aceitação do outro como é e de seus jeitos peculiares, vulgo defeitos. Amar ao próximo é também amar a si próprio. Não há como amar a alguém se não sabe ao menos se amar, se não conhece as dificuldades do ser, de aceitar, de corrigir e lapidar.

A sensação de conseguir aceitar ao máximo alguém que gostamos é algo magnífico e tendo isso em vista por que continuar com esse egoísmo desenfreado? Por que não dividir de fato ao invés de fingir? Largar os medos no mar para serem levados para nunca mais, as roupas na areia para talvez serem roubadas e voltar se amando, pelado ou não, para seja lá onde você estava antes. Experienciar os pequenos enormes sabores da vida que apenas a vivência pode proporcionar. E, acima de tudo, fazer do envolvimento e amor, principalmente próprio, nossos deuses a serem venerados, com nossa cama como altar para amarmos quem quer que seja que esteja dividindo corações conosco. Sexo por sexo será sempre sexo. É bom, o corpo pede. Mas e a alma, onde colocam ela nessa escala? Ela deveria ser no mínimo tão valorizada quanto o corpo. Alimentem suas almas! Se querem transar transem mas façam com alguém que mereça. No mínimo, se envolva, faça sua parte. Se não for correspondido paciência, serve para a experiência. O caminho machuca a todos e não é por escolher ficar apenas boiando enquanto existem milhares de peixes e recifes de corais abaixo de você que não irá se sentir sufocado ou machucado. Se manter na superficialidade magoa muito mais que entrar na batalha de peito aberto para tentar conseguir sua felicidade, pela qual ninguém lutará por você.

Amem e não se preocupem, sejam leves o máximo possível. Treinem, façam por onde, aprendizado não vem por osmose. Não é preciso ter um relacionamento sério depois do envolvimento, para os que não querem. Podem se envolver e apenas ficarem juntos quando juntos fisicamente ou ficarem juntos o tempo todo mas ficando com outras pessoas. Podem namorar depois também se quiserem! podemos todos ser livres para fazermos nossas escolhas e essa é a melhor liberdade que podemos nos dar.

Sobre o chá: Chatices, ensinamentos e tentativas de conscientização a parte, e os juntando para entender, não é este o tópico principal do texto. O propósito é fazer um anúncio: Divido meu chá! Divido meu chá e mesmo cansado sempre o fiz de uns tempos para cá. Se aceitar e me chamar para dividir um sorvete alguma hora depois do chá quem sabe não dividamos um cômodo a sós? Uma vida, se for de nossa vontade, mesmo que por um curto espaço de tempo desde que este seja eterno. Citando uma frase que li em algum lugar “Pessoas inteiras não merecem metades” e como guerreiro, todos os dias batalhando para ser inteiro e o melhor possível para com todos, de forma alguma aceitaria metades, ¾, 9/10 que sejam. Inteira ou nada. Encontre pessoas que lhe acrescentem, completo você já é.

E, por favor, durante os chás da vida: Esqueçam os celulares, câmeras e afins. Sinta o gosto, saboreie ao máximo o sabor das folhas, o assento acolchoado ou a pedra do meio fio, os raios de sol mesmo que por detrás da lua. Câmeras não guardam sentimentos, apenas lembranças e essas não existem se não forem vivenciadas então pode acabar virando um baú de maus momentos e arrependimentos.


Victor Muniz

Relaxe, seja bem vindo e sinta-se a vontade! O espaço é nosso caso deseje..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/sociedade// //Victor Muniz