Joana Ferraz

Criadora do "Traz um verso" e amante das ricas simplicidades.

A poesia erótica da Bíblia: o Cântico dos Cânticos

Trechos de um poema de amantes de antes de Cristo.


cantico dos canticos 1.jpg

É verdade que tem poesia sensual no Velho Testamento? Essa pergunta é você quem vai responder ao final deste artigo. Mas lhe conto que há um pequeno livro de oito capítulos, o Cântico dos Cânticos, ou Cantares, recheado de versos campestres e deleitosos. Há controvérsias sobre a autoria do texto, mas a versão mais aceita é a de que o rei Salomão o escreveu.

Quem foi o rei Salomão?

rei salomão.jpg Representação russa do rei Salomão

Filho do rei Davi, governou Israel após a morte do pai, por um período de 40 anos, mais ou menos entre 966 e 926 a.C. Durante seu reinado, construiu o famoso templo de Jerusalém, ou templo de Salomão, local onde o povo de Israel fazia seus cultos.

Conta a bíblia que Salomão pediu a Deus apenas sabedoria para governar, quando poderia ter pedido o que quisesse. Por conta desse ato de humildade, Deus lhe deu sabedoria imensa e mais o regalo da riqueza.

“Deus deu a Salomão sabedoria, entendimento fora do comum e conhecimentos tão grandes, que não podiam ser medidos. Salomão era mais sábio do que qualquer homem do Oriente ou do Egito […] E a sua fama se espalhou por todos os países vizinhos.”  

“Ele escreveu três mil provérbios e compôs mais de mil canções. Falou de árvores e plantas, desde os cedros do Líbano até o hissopo, que cresce nos muros; ele falou também dos animais, dos pássaros, dos animais que se arrastam pelo chão e dos peixes. Reis do mundo inteiro souberam da sabedoria de Salomão e mandaram pessoas para ouvi-lo.”

- 1Reis 4:29-34

Pois foi, como a maioria acredita, este fundador da literatura sapiencial quem escreveu o livro que a gente quer ler: O Cânticos dos Cânticos. E se fizermos uma matemática barata, podemos pensar que ele foi escrito mil anos antes de Cristo nascer, ou seja, há mais de três mil anos.

Selecionei alguns trechos com o filtro sensual e com a mente erótica. Mas antes de partirmos para essa exploração bíblica, é bom que saibamos que há basicamente 3 personagens: o amado, um pastor; a amada, Sulamita – os apaixonados que trocam declarações – e as filhas de Jerusalém, que funcionam como um coro e conversam com a amada.

Nas versões mais tradicionais da bíblia é difícil fazer essa distinção de personagens, porém, na versão “Nova Tradução na Linguagem de Hoje”, ou NTLH, a leitura é mais dinâmica, porque há indicação da fala da personagem, como no texto teatral. Portanto, os trechos aqui destacados são dessa versão.

E já começa assim com uma urgência de amar:

“Que os seus lábios me cubram de beijos! O seu amor é melhor do que o vinho. O seu perfume é suave; o seu nome é para mim como perfume derramado. Nenhuma mulher poderia deixar de amá-lo. Leve-me com você! Vamos depressa! Seja o meu rei e leve-me para o seu quarto.”

-Ct 1:2-4

Na Nova Versão Internacional, esse início fica assim tão lindo que vale a pena reler.

“Ah, se ele me beijasse, se a sua boca me cobrisse de beijos…

Sim, as suas carícias são mais agradáveis que o vinho.”

-Ct 1:2

Mas continuemos com a NTLH:

“O meu amado tem cheiro de mirra

quando descansa sobre os meus seios.”   -Ct 1:13

mirra.jpg

A mirra é praticamente o cheiro dos cenários do Cântico dos Cânticos. Essa planta já foi considerada um item de muito valor na antiguidade, por conta de suas propriedades medicinais. Mas ela traz também alguns significados espirituais, como por exemplo, é símbolo da força e resistência do amor – o que para este texto faz todo sentido.

Porém, o que mais impressiona nesse trecho é a jovem falando, sem pudor, de quando o amado descansa sobre seus seios. Não que isso seja de outro mundo, mas certamente era outro mundo há três mil anos. E, parece, esse outro mundo de tempos e tempos atrás era mais aberto do que alguns micromundos de hoje, levando em consideração que os personagens não são casados.

Para compor esse cenário erótico-campestre, não pode faltar sexo ao ar livre:

“Como você é belo, meu querido!

Como é encantador!

A grama verde será a nossa cama;”

-Ct 1:16

Você consegue ver, nesse poema de amor a seguir, aquela fraqueza que dá na gente depois do sexo urgente e aquela vontade de fazer nada, porque não existe o mundo lá fora? E não tem nada melhor que isso se ainda terminar com uma conchinha.

“Ele me levou ao salão de festas,

e ali nós nos entregamos ao amor.

Tragam passas para eu recuperar as minhas forças

e maçãs para me refrescar,

pois estou desmaiando de amor.

A sua mão esquerda está debaixo da minha cabeça,

e a direita me abraça.”

-Ct 2: 3-6

Além da forte eroticidade do poema, podemos destacar também a importância da voz feminina. Sulamita tem a fala bastante presente nos versos, e declara com liberdade seu amor e sua vontade de entrega – isso, em um livro tão antigo e repleto de apelos machistas, é muito notável e digno de nos deixar pensativos. Como um texto erótico e de voz tão feminina passou pelo crivo dos clérigos como sagrada escritura?

Enquanto a gente não sabe responder, Sulamita procura desesperada o seu amado, a quem anda vigiando pelas janelas, louca de amor:

“Noites e noites, na minha cama,

eu procurei o meu amado;

procurei, porém não o encontrei.

Então me levantei e andei por toda a cidade,

pelas ruas e pelas praças.

Eu procurei o meu amado;

procurei, mas não o pude achar.”

-Ct 3: 1,2

Tudo bem que a voz feminina na poesia dos cantares é muito forte, mas veja só quando o noivo fala fazendo comparações:

“Os seus lábios são como uma fita vermelha,

e a sua boca é linda.

O seu rosto corado brilha atrás do véu.

Você tem o pescoço roliço e macio,

elegante como a torre de Davi,

onde estão pendurados mil escudos,

parte das armaduras de soldados valentes.

Os seus seios parecem duas crias,

crias gêmeas de uma gazela, pastando entre os lírios.”

-Ct 4:3-5

E mais algumas comparações voluptuosas:

“Como são deliciosas as suas carícias,

minha namorada, minha noiva!

O seu amor é melhor do que o vinho;

o seu perfume é o mais agradável que existe.

Os seus lábios têm gosto de mel, minha querida.

A sua língua é para mim como leite e mel,

e os seus vestidos têm o cheiro dos montes Líbanos.”

-Ct 4: 10,11

A sua língua é para mim como leite e mel. Isso é muito bonito, é de uma sensualidade sinestésica, com sensações de sabor, textura, cheiro e pele.

Deixa o coro falar também:

“Vocês que se amam,

comam e bebam,

até ficarem embriagados de amor!”

-Ct 5:1

O pastor bate à porta da amada, da “pombinha sem defeito” e pede para entrar. Sulamita, por conta desse simples ato do amado, entra em conflito:

“Eu já tirei a roupa;

será que preciso me vestir de novo?

Já lavei os pés;

por que sujá-los outra vez?

O meu amor passou a mão pela abertura da porta,

e o meu coração estremeceu.

Eu já estava pronta para deixar o meu querido entrar.

As minhas mãos estavam cobertas de mirra,

e os meus dedos também,

e eu segurava o trinco da porta.

Então abri a porta para o meu amor,

mas ele já havia ido embora.

Como eu queria ouvir a sua voz!

Procurei-o, porém não o pude achar;

chamei-o, mas ele não respondeu.”

-Ct 5: 3-6

Simplesmente desfrutemos desses versos simples como a poesia deve ser:

“Quem é esta que parece o nascer do dia,

que é bela como a lua,

brilhante como o sol,

impressionante como esses dois astros

e luminosa como o céu cheio de estrelas?”

Eu desci ao jardim das amendoeiras

para olhar as plantas novas do vale,

para ver se as parreiras estavam brotando

e se as romãzeiras estavam em flor.

Eu estou tremendo.

Você me deixou ansioso para amar,

tão ansioso como um condutor de carros de guerra

para entrar na batalha.”

-Ct 6:10-12

Eu tenho a impressão de que quando a gente ama, a gente no mesmo instante vira poeta e o amado ou a amada, com toda a exuberância do nosso olhar do amor, se torna uma obra de arte. Daí passamos a observar os mínimos detalhes e a única vontade que existe é a de vinho e sexo, vinho e sexo:

Ele

“Ó filha de um príncipe,

como são bonitos os seus pés calçados de sandálias!

As curvas dos seus quadris são como joias,

são trabalho de um artista.

O seu umbigo é uma taça

onde não falta vinho.

A sua cintura é como um feixe de trigo

cercado de lírios.”

[…]  

Os seus seios são para mim como cachos de uvas.

A sua boca tem o perfume das maçãs,

e os seus beijos são como vinho delicioso.

Ela

Então que o meu querido beba suavemente deste vinho

que escorre entre os seus lábios e dentes.

Eu sou do meu amado, e ele me quer.

Venha, querido, vamos para o campo;

vamos passar a noite nas plantações de uvas.

-Ct 7:1-2, 8-11

O seu umbigo é uma taça onde não falta vinho. Então que o meu querido beba suavemente deste vinho. Se colocar essa cena no youtube, vai pra fora do ar.

Vamos finalizar este artigo com a descrição de Salomão sobre o que é o amor. Mas lembrem, o amor em si tem muitas formas, essa forma dos cantares é apenas o amor de amantes, de casal. É só uma ramificação, um rizoma, do que é amor mesmo.

"O amor é tão poderoso como a morte;

e a paixão é tão forte como a sepultura.

O amor e a paixão explodem em chamas

e queimam como fogo furioso.

Nenhuma quantidade de água pode apagar o amor,

e nenhum rio pode afogá-lo."

-Ct 8:6,7

E então? Quer responder aquela pergunta inicial? Vou te lembrar: É verdade que tem poesia sensual no Velho Testamento?

Ou você esqueceu que estava lendo trechos da bíblia?

Ficou interessado no assunto? Consulte as fontes:

O Cânticos dos Cânticos na “Nova Tradução na Linguagem de Hoje”: https://www.bible.com/pt/bible/211/sng.1
Sobre a autoria dos cânticos e seu valor como cânon: http://www.saindodamatrix.com.br/archives/2015/04/cantico_dos_canticos.html
O templo de Salomão: http://www.abiblia.org/ver.php?id=1700
O Cântico dos Cânticos: um ensaio de interpretação através de suas traduções: http://zip.net/bptC1g

Gostou deste post e quer ler mais conteúdos como esse? Então acompanhe o Traz um verso.


Joana Ferraz

Criadora do "Traz um verso" e amante das ricas simplicidades..
Saiba como escrever na obvious.
version 3/s/literatura// @obvious, @obvioushp, @obvious_escolha_editor //Joana Ferraz