admirável mundo

Assim é, se lhe parece (Luigi Pirandello)

Andréa Romão

Devoradora de livros e filmes. Pianista nas horas vagas e escritora em todas as outras horas disponíveis. Está no Wattpad como @dearomao e no Instagram no @lookdolivro.

Fábula de um término

A vida não termina quando um relacionamento acaba. Ela sempre recomeça.


engagement-1718244_1920.jpg

Quando você me deixou, meu bem, me disse pra ser feliz e passar bem, quis morrer de ciúmes... opa, peraí. Esse não é meu texto. É uma música do Chico Buarque. Mas não faz mal, serve como trilha sonora. Mesmo porque foi bem assim mesmo que aconteceu.

Você terminou comigo e eu fiquei louca de ciúmes, tristeza e depressão. No primeiro dia eu não sabia nem para onde ir. Me sentia perdida. Com quem eu ia bater papo no facebook enquanto fingia que trabalhava? Para casa de quem eu ia escapar na hora do almoço, subir correndo as escadas, dar um beijo, um abraço e voltar correndo? Quem ia tomar chá comigo às onze horas da noite, fazendo planos para o futuro?

E olha, meu bem, que eu tomei tanto cuidado para não ser uma daquelas pessoas que vivem em função de namorado (rimou, mas foi sem querer). Lembra aqueles casais que a gente falava mal? Aqueles que pareciam um só e a gente dizia que quando via um na rua sozinho, o outro devia estar em casa desmaiado, porque não suportou a distância entre eles? Eu jurava para mim mesma que nós não éramos assim. Mantive minhas saídas com os amigos, programas de meninas, cervejinhas e baladas. Mas parece que mesmo assim eu deixei sua presença invadir cada momento, cada minuto da minha vida. Era a única explicação. Eu sentia sua falta até nos momentos em que você nunca esteve presente.

hands-437968_1920.jpg

Eu sempre soube que eu tinha você. Como se eu não soubesse também que ninguém pode ter outra pessoa. Que nós estamos apenas nos emprestando, nos alugando por tempo indeterminado. Mas para mim isso eram detalhes. Eu achava que você estava alugado/emprestado/vendido para mim pra sempre. Até que você se devolveu para o mundo sem me avisar.

Sentia sua falta da hora que eu acordava até a hora que eu ia dormir. Suponho que sentisse sua falta durante o sono também, mas não tenho comprovação científica disso. Era como se, por não estar mais com você, minha vida não tivesse mais sentido. Eu era uma pessoa condenada. Um zumbi só esperando pelo abate.

Até que um dia tudo mudou.

Percebi que eu podia conversar com outras pessoas no facebook enquanto fingia que trabalhava. E algumas delas, eram muito mais engraçadas que você. Na hora do almoço eu continuava correndo, mas para encontrar minha amiga que trabalhava não muito longe de mim. O chá das onze? Ainda faço, mas agora com a minha irmã e com direito a pães de queijo recheados. Todos os nossos momentos, todos os nossos programas, eles não morreram. Mas agora eles são só meus. Mas tantas outras coisas novas foram surgindo. E enquanto eu ia preenchendo minha vida com momentos sem você, aquela saudade louca foi sumindo. A necessidade de ter você comigo foi ficando menor.

people-2597454_1920.jpg

Foi então que eu me dei conta de que, embora existisse uma legítima saudade de você, a saudade maior era da rotina. E quando o medo de voltar a ser uma pessoa só passou, eu senti que estava pronta para voltar a viver. E ando vivendo muito bem, obrigada.


Andréa Romão

Devoradora de livros e filmes. Pianista nas horas vagas e escritora em todas as outras horas disponíveis. Está no Wattpad como @dearomao e no Instagram no @lookdolivro..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/sociedade// @obvious, @obvioushp //Andréa Romão