alfredo passos.br

Cinema e Literatura

Alfredo Passos

Alfredo Passos, professor universitário, autor de livros, blogueiro, adora livros, cinema, música e andar a cavalo. Mais sobre autor em http://about.me/alfredopassos

Política: ler e ver, antes de discutir

Que tal parar de discutir e brigar com amigos, parentes, colegas de trabalho e desconhecidos pelas redes sociais, assistir filmes e ler livros sobre política?


os caminhos da esquerda.jpg O Brasil e o mundo passam por tensões quando o assunto é política. As discussões acaloradas e de muitos conflitos nas redes sociais nas eleições presidenciais no Brasil, mostraram que mais do que nunca é melhor ler livros e assistir filmes sobre o assunto do que ficar discutindo com amigos, familiares, colegas de trabalho e desconhecidos nas redes sociais.

Nesse particular, pelo menos três filmes e cinco livros, podem abrir as mentes antes das conversas.

Um filme internacional

O Capital (Costa Gravas) – 2012 costa gravas.jpeg Costa-Gavras fotografado em hotel de Paris, no lançamento de seu filme, "O Capital"

Segundo Costa-Gavras, o filme começou a ser produzido antes da crise de 2008, pois ele queria retratar os riscos de endividamento que a Europa enfrenta já há vários anos. Essa preocupação o levou a ler muitos romances com viés econômico, entre eles o de Osmont, que era assessor financeiro de algumas das maiores empresas da Europa.

Para o cineasta "políticos têm carreiras, cineastas têm paixões. É a dúvida que move um diretor, a vontade de dividir os dilemas que ele carrega sozinho. E sempre haverá uma história a ser contada. Tenho 80 anos e não consigo imaginar minha vida sem fazer filmes".

Dois filmes brasileiros

Privatizações – a distopia do capital (Sílvio Tendler) – 2014 O filme trata das privatizações na década de 1990, que chegam ao Brasil junto com a ascensão do neoliberalismo mundial. Mas, o que é o neoliberalismo? Em linhas gerais, são ideias políticas e econômicas que defendem a não participação do estado na economia e a liberdade total de comércio, para garantir o crescimento econômico e o desenvolvimento social do país. Iniciado no Governo Fernando Collor, o neoliberalismo teve continuidade na gestão do Presidente Fernando Henrique Cardoso.

O diretor Silvio Tendler conta com a participação de vários intelectuais, professores e líderes de sindicatos para explanar a lógica do capitalismo no processo de privatização e da desconstrução da política que era implementada até então, iniciada pelo Governo de Vargas, de estatização de empresas. O filme se constrói em uma série de entrevistas demonstrando como as privatizações contribuíram para desestatizar (tirar da tutela do Estado) os serviços brasileiros, gerando apagões, crises e desemprego.

Getúlio (João Jardim) – 2014 CAPA DO FILME GETÚLIO - JUNIOR DVDS DESIGNER.jpeg O filme relata as intrigas da Presidência da República e as entranhas do poder nos últimos 19 dias de vida de Getúlio, mostrando as conspirações e tramas nos bastidores para que o presidente seja deposto ou renuncie. Getúlio foi um ditador confesso, admite no filme ter rasgado duas Constituições enquanto esteve no comando, com o objetivo de se manter no poder. Mas apesar de ter sido um ditador, voltou à presidência novamente por voto democrático.

O filme mostra muito do que vivemos hoje na política brasileira, expondo que o hábito das negociatas, lobby, conchavos, chantagem, alianças ilícitas vêm de muitos anos e não acontecem somente na atualidade. O jogo político, do fazer o que é interessante para mim em detrimento do que é importante para o bem-estar do país e a autoridade que o poder continuado por vezes traz, em razão das características que se perpetuam num sistema político que se adentra, a fim de obter vantagens econômicas e políticas.

Os livros:

1. A boa política, de Renato Janine Ribeiro A internet parece ter acirrado ainda mais os ânimos da discussão política. É sobre a política na era da internet que trata o novo livro do filósofo Renato Janine Ribeiro. A boa política é uma reunião de artigos escritos ao longo de mais de vinte anos. Atento aos desafios de uma época em ebulição, o autor discute o valor ético e político da internet e examina grandes problemas de nossa experiência democrática, debatendo, entre outras questões em voga, a ideia de representação, o voto obrigatório, os escândalos de corrupção, a crise de imagem ética do PT, os impeachments, as utopias e os movimentos de protesto.

2. Sobre a tirania, de Timothy Snyder Para não repetir os erros do passado, Sobre a tirania é uma leitura mais do que necessária. Após a eleição de Donald Trump, o historiador Timothy Snyder fez um post no Facebook listando vinte lições tiradas do século XX para evitarmos que os horrores daquele século voltem a acontecer no presente. "Não somos mais sábios do que os europeus que viram a democracia dar lugar ao fascismo, ao nazismo ou ao comunismo no século XX. Nossa única vantagem é poder aprender com a experiência deles", escreveu o autor. Sobre a tirania é uma leitura rápida e inteligente para fazer pensar.

3. Os limites da política, de José Arthur Giannotti e Luiz Damon Santos Moutinho No recém-lançado Os limites da política, os filósofos José Arthur Giannotti e Luiz Damon Santos Moutinho fazem uma discussão ancorada na história da filosofia e voltada para o calor dos acontecimentos do presente, colocando em xeque as categorias lógicas que vêm amparando a prática e a reflexão política. Qual o lugar da política em nossas modernas sociedades capitalistas? De que política se trata? Como a democracia deve se haver com uma economia que provoca riqueza gerando desigualdades insalubres? Essas são algumas das questões sobre as quais eles se debruçam.

4. Caminhos da esquerda, de Ruy Fausto Em Caminhos da esquerda, o filósofo Ruy Fausto empreende um rigoroso balanço crítico da experiência histórica da esquerda no Brasil, mas sem perder de vista o contexto internacional e também apresentando algumas propostas para sua reconstrução. O livro tem como base um texto publicado na revista piauí, em outubro de 2016, e que provocou extenso debate com interlocutores de todos os espectros políticos - prova da argúcia e solidez da reflexão de Ruy Fausto, e da necessidade de discussão pública qualificada em tempos marcados pela intolerância e pela fragilização da institucionalidade democrática.

5. Juros, moedas e ortodoxia, de André Lara Resende Neste conjunto de ensaios, André Lara Resende reflete sobre as origens e o desenvolvimento da teoria monetária e suas implicações no contexto brasileiro. Juros, inflação e política fiscal recebem do autor um enfoque inovador, ancorado nas melhores investigações da atualidade, que põem em questão algumas convicções estabelecidas. Da teoria à história, os ensaios discutem as políticas comumente receitadas para a inflação crônica, a recessão e o desemprego. Antes de buscar a polêmica fácil ou propor uma "nova heterodoxia", Juros, moedas e ortodoxia pretende estimular o debate ao abrir uma janela de oportunidade para a reflexão sobre políticas públicas da mais alta relevância.

Espero que as conversas e discussões possam ser melhores, depois desses filmes e livros.


version 1/s/literatura// @obvious, @obvioushp //Alfredo Passos