amarse

A vida é mesmo uma coisa efêmera

Ana Karoline

Estudante de psicologia , aos 21 anos tive a minha primeira publicação em jornal. Apaixonada pelo comportamento humano e fascinada por neurociência. Sonhadora, desbravadora e as vezes exagerada. Ridiculamente bem humorada, e amante da vida e de pessoas resilientes.

CÂNCER, A DOENÇA QUE NÃO ESCOLHE IDADE

O câncer é uma doença que é originada pelo desenvolvimento anormal das células, considerado como muito perigoso e letal, existem alguns tipos de CA que quando descoberto no seu estado inicial possui tratamento e cura, no entanto pode se tornar fatal quando é descoberto em um estágio mais avançado


cancer.jpg

Câncer. Uma das mais temíveis palavras já conhecidas. Houve época em que essa palavra não era proferida com segurança, alguns preferiam chama-lá de doença ruim, aquele mal, tudo isso parar evitar o espanto que ela trazia. Apesar de ser tão temível, essa doença tomou e vem tomando uma proporção assombrosa, tornado assim quase impossível não mais proferir sua palavra no sentido originário, pois rotineiramente nos deparamos com pacientes acometidos com algum tipo de CA.

O câncer é uma doença que é originada pelo desenvolvimento anormal das células, considerado como muito perigoso e letal, existem alguns tipos de CA que quando descobertos no seu estado inicial possuem tratamento e cura, no entanto podem se tornar fatais quando descobertos em um estágio mais avançado. Por isso é imprescindível que as pessoas constantemente vivam em estado de alerta, pois todos nós corremos sérios riscos, é primordial que estejamos mais atentos, sobretudo nos quesitos: alimentação, e isso pode incluir o consumo exagerado de carnes manuseadas em churrasqueiras, frituras, sódio, bebidas como refrigerantes, procurar ter uma vida mais saudável, alimentar- se de maneira correta e com alimentos de preferencia orgânicos, sair da inércia do sedentarismo, evitar a exposição ao sol no período das 10 da manhã e às 4 da tarde, usar sempre filtro solar, mesmo em dias nublados.

É preciso ter em mente que alguns tipos de neoplasias acometem pessoas em idade fértil, e também na infância, ir ao médico não é somente algo que o adulto precisa se preocupar. Não é novidade encontrar casos de jovens que tiveram suas vidas canceladas por essa doença. O processo de internalização de um paciente que acabou de descobrir essa doença é doloroso e angustiante. É necessário que haja uma intervenção interdisciplinar, e que o psicólogo se faça presente em vários momentos.

cancer_1_0.jpg

O tratamento, às vezes, é somente um paliativo, para que o mal não se instale nas demais áreas do corpo, as sessões de quimioterapias e radioterapias debilitam o paciente tornando-o mais fraco e desestruturado. O medo da morte se torna iminente, juntamente com a baixa autoestima, pois alguns tipos de tratamento provocam quedas capilares. O paciente que se encontra em estado terminal, pode desenvolver algum tipo de problema psicossomático como depressão, o que torna ainda mais difícil a resposta ao tratamento, essas pessoas geralmente não veem sentido na vida.

Alguns tipos de câncer provocam dores absurdas, sobretudo aqueles que se encontra em estado avançado, fazendo com que o sujeito que sofre desse tipo de mal sobreviva à base de morfina. Pensamentos auto derrotistas, destrutivos e suicidas podem rondar a cabeça desse sujeito, por isso que o apoio da família e do corpo de médicos se torna algo de caráter crucial. Os médicos e toda a estrutura interdisciplinar não devem olhar para aquele individuo como um ser inválido, que está prestes a morrer, o olhar humanista, é algo que dever ser praticados por todos, pois o sujeito merece e deve possuir uma boa qualidade de vida até no âmbito da morte.


Ana Karoline

Estudante de psicologia , aos 21 anos tive a minha primeira publicação em jornal. Apaixonada pelo comportamento humano e fascinada por neurociência. Sonhadora, desbravadora e as vezes exagerada. Ridiculamente bem humorada, e amante da vida e de pessoas resilientes. .
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/sociedade// @obvious //Ana Karoline