animar

A vida pede ação, a alma atenção.

Ligia Santos

Estudante de psicologia, ama escrever e adora boas rimas. Gosta de passar o tempo ouvindo boas composições musicais e se diverte assistindo seriados, filmes e programas de culinária. Gosta de observar e ouvir boas histórias.Tem fé em Deus, na vida, nas pessoas e no futuro

Ser feliz sozinho evita de ser triste acompanhado

Nossa solidão é nossa casa e necessita abrir horários de visita, hospedar, convidar para o almoço, cozinhar com afeto, revelar-se uma solidão anfitriã, que gosta de ouvir as histórias das solidões dos outros, já que todos possuem seus descampados. (Martha Medeiros)


tumblr_mm4pexTm6U1sp83ogo1_500.jpg

Todas as pessoas precisam de momentos de singela solidão com a plena companhia de si mesmo, pode parecer algo um tanto assustador para muitos ou algo agradabilíssimo para tantos outros, fato é que não se pode escapar de vivê-la. Estar cercado de pessoas não é garantia de amparo, muitas vezes pode ser terrivelmente triste, ter um namorado (a) também não te faz menos solitária, entretanto, os solteiros e as solteiras têm sofrido bastante, pois quando a pessoa (a mulher, mais especificamente) não está em um relacionamento ela acaba sendo vista com olhares de piedade e inconformismo. Não ter ninguém é tido como fracasso, você pode ser bem sucedida nos outros âmbitos da vida, porém, senão está com alguém, de nada vale. A importância que é dada para um relacionamento (que às vezes passa longe de ser amoroso) é grandiosa demais, mas ser feliz vai além do estado civil.

Contudo, as relações, sobretudo as conjugais, possuem conflitos que são advindos da vinculação mais primitiva do ser humano, elo entre pais-filho. A escolha do parceiro é feita por razões inconscientes resultantes do trato e da vivência de cada indivíduo. As dificuldades geralmente são repetições de antecessores, há uma “rede” invisível onde o ciclo se reproduz e enquanto não visto e tratado, tende a persistir. O casamento sofre de uma romantização demasiada que não condiz com a grande maioria das relações, há dilemas e dificuldades como em todos os relacionamentos e só é possível superá-los com algo que vai além do amor, reciprocidade e vontade de fazer dar certo.

Na vida, tudo é uma questão de escolha, há quem tenha disposição para isso e quem não se interesse em fazer renúncias para viver a dois. O que não pode acontecer é a valorização e aceitação de apenas uma opção, pois não há uma única forma de viver bem, as experiências subjetivas, sonhos e desejos compõem a estrutura de pensamentos e interferem na maneira de ver e conviver em sociedade. Por isso, não cabe o julgamento alheio perante os solteiros, há tantas outras coisas para saber de alguém além do estado civil, existem muitas maneiras de viver melhor consigo que não seja apoiado em outro alguém, até porque entrar numa relação esperando que o parceiro venha a completar uma falta, uma carência ou a si mesmo é certeza de fracasso. Para amar o próximo é necessário primeiro saber que amor não é cilada, abuso e nem sacrifício em detrimento de si, desse modo, vale sempre a máxima do poeta e escritor Zack Magiezi “Não tente ser plural antes de aprender a ser singular”.

6d2e3af5b70bdb4fe4faac052aca322c.jpg


Ligia Santos

Estudante de psicologia, ama escrever e adora boas rimas. Gosta de passar o tempo ouvindo boas composições musicais e se diverte assistindo seriados, filmes e programas de culinária. Gosta de observar e ouvir boas histórias.Tem fé em Deus, na vida, nas pessoas e no futuro.
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/sociedade// @obvious, @obvioushp //Ligia Santos