Matheus Paulo Melgaco

Estudante de Jornalismo na PUC-Rio e de Ciências Sociais na UERJ. Alguém que Deus insiste em chamar de filho. E como dizia Nelson Rodrigues: "sou um menino que vê o amor pelo buraco da fechadura".

  • palhaco-olhos.jpg
    complexos, contraditórios e imperfeitos

    Quando crianças, somos ensinados que o propósito na vida de uma pessoa é nascer, reproduzir e morrer. Início, meio e fim. A frase simplista e cheia de defeitos, funciona em uma determinada fase. No entanto, com o tempo, nos deparamos com algo maior. Percebemos que nascemos para ser e fazer mais coisas do que dizem que nascemos para tal. E onde percebemos este prisma de escolhas é no meio.

  • 1024px-Karl-marx-denkmal_frankfurt_oder_3.jpg
    Um pouco de Marx não faz mal a ninguém

    Em um mundo com o capitalismo cada vez mais voraz, reposicionar a sua obra no senso comum, que ao longo dos anos foi deturpada desonestamente, ignorando os preconceitos ideológicos um tanto quanto imaturos, se faz urgente para entender algumas questões contemporâneas. Mais que uma provocação, este texto é uma tentativa de expor alguns conceitos que se fazem presentes até hoje. E mostrar que, saber um pouco de Marx, não faz mal a ninguém.

Site Meter