antes do instante final

A visão de uma jovem boemia

Sarah Vianna

Uma jovem estudante de Jornalismo, que nunca gostou de seguir as regras e padrões. O conveniente nunca me agradou.

Entre o disparo das armas e os gritos de socorro, ainda existe esperança

“Enquanto a cor da pele for mais importante que o brilho dos olhos, haverá guerra”. Bob Marley


Medo, acho que essa palavra, talvez, seja a definição perfeita do sentimento existente há quatro anos dentro da nação Síria. Mesmo com as sanções impostas pela ONU, o presidente Bashar al-Assad não abre mão do poder que está destruindo toda a sociedade.

Manu Brabo-thumb-800x533-118890.jpg

Ao observar essa triste imagem, de um provável pai segurando em seus braços seu provável filho que, diante das circunstâncias, provavelmente tinha acabado de morrer, sinto-me morta, assim como essa criança, sinto desespero, sinto uma enorme decepção e, por fim, sinto a esperança escorrendo dos meus olhos, afinal, nenhum pai deveria ter que ver seu filho morrer, não existe dor maior que essa.

É muito triste, não? A forma que o ser humano encontra para descontar a raiva e afundar toda a mágoa que a vida já causou. Mas, que culpa tem uma criança, uma inocente criança, que nem teve a oportunidade de viver, de crescer, de aprender, de errar, de fazer escolhas, uma criança que teve a vida tirada injustamente, assim como outras milhares que nunca saberão como é ser adulto.

Por outro lado, fico feliz por essa e outras milhares de crianças quem não descobrirão como é a vida de um adulto, no mundo de hoje, um mundo de guerras e ódio, qual é a graça de ser um adulto? Qual é a vantagem de crescer e ver que, na verdade, a vida não é tão colorida quanto imaginávamos? Qual a diversão em perder a ingenuidade no momento em que se percebe que o “bicho-papão” na verdade é o próprio ser humano?

A guerra na Síria é só mais uma prova de que o mundo está de ponta cabeça, só mais uma prova de que o poder e o dinheiro sucumbiram o amor, só mais uma prova de que o ser humano pode ser, sim, muito cruel e injusto. Mas, também, é a prova de que as pessoas ainda não desistiram de alcançar a liberdade, mais uma prova de que existem pessoas muito boas, como as que estão recebendo e abrigando os imigrantes Sírios, é a comprovação de que o ser humano tem salvação e que o mundo nunca vai perder a esperança.

S_ria_casa_branca_manifesta_o_30_8_13.jpg

“Imagine todas as pessoas Vivendo o presente

Imagine que não houvesse nenhum país

Não é difícil imaginar

Nenhum motivo para matar ou morrer

E nem religião, também

Imagine todas as pessoas

Vivendo a vida em paz

Você pode dizer que eu sou um sonhador

Mas eu não sou o único

Espero que um dia você junte-se a nós

E o mundo será como um só

Imagine que não há posses

Eu me pergunto se você pode

Sem a necessidade de ganância ou fome

Uma irmandade dos homens

Imagine todas as pessoas

Partilhando todo o mundo.” – Imagine, John Lennon

Na realidade, devo admitir, acredito que esse conflito na Síria não está acabando com a esperança, ele está transformando a esperança em força, em força para lutar cada dia mais, a guerra só veio para o mundo provar que a bondade é soberana, e quando tudo isso chegar ao fim (e vai chegar), as pessoas serão outras, o mundo será outro, pois a esperança, como diz o ditado, é a última que morre, e na minha opinião, ela é a única que nunca morre.


Sarah Vianna

Uma jovem estudante de Jornalismo, que nunca gostou de seguir as regras e padrões. O conveniente nunca me agradou. .
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/sociedade// @nopub //Sarah Vianna