arcano do aleph

“Alho e safiras na lama...” T.S. Eliot, Quatro quartetos, 1943

Thiago Castilho

Advogado e escritor, um homem de leis e letras. Acredito que a arte pode “ensinar a viver”. Ensinar a viver significa ensinar a lutar e a amar melhor a si e a toda humanidade. Adquirir o conhecimento e transformá-lo em sabedoria de vida no palimpsesto do pensamento. Eis meu ideal intelectual que busca realizar a experiência do autoconhecimento, não sei até se do absoluto e talvez do Sublime aplacando assim minha angústia existencial, sem soteriologia, porque ao contrário de Heidegger não acho que somos seres-para-a-morte, mas seres-para-a-vida e seres-para-o-amor. E “tornar-me senhor de mim mesmo” é o meu grande objetivo em busca de uma vida que vale a pena ser vivida.

FLOR DE LÓTUS OU SAUDADE DE SER FELIZ DE NOVO

Enquanto a tempestade chicoteava a Terra eles se amavam no quarto loucamente como se a morte os esperasse do lado de fora e a vida não fosse nada além de um relâmpago iluminando os olhos de Deus.


Corpos_amor.JPG "Eu só poderia dividir meu silencio e minha solidão com você."

Querida, eu gostaria de lhe dá esse livro A paixão segundo G.H. da soberba escritora brasileira Clarice Lispector. Como estamos temporariamente incomunicáveis eu gostaria que você passasse na livraria do shopping essa semana e o comprasse, imagino que tenha exemplares disponíveis, senão faça encomenda e comece a lê-lo. Eu ainda não o li (um pecado imperdoável), mas ele é o livro favorito de uma pessoa que admiro muito pela inteligência e sensibilidade. Ou seja, você irá amar esse livro. É o livro dileto de muitas mulheres brilhantes! Eu sempre quis que você se apaixonasse pela literatura e pela filosofia como é apaixonada pela política e pelo povão. São mundos distintos, mas a diversidade promove a riqueza, não é verdade? Assim, seja uma boa menina e faça o que o papai lhe pede. Assim, meu amor por ti só irá se expandir até o infinito. E tem mais, segundo o intelectual Leandro Karnal nossa grande companhia nessa vida é a leitura: “Uma criança que não lê será um adulto solitário.”. Eu sempre reconheci em ti uma instancia introspectiva. Você me lembra a personagem Maria Lúcia do filme Faroeste Caboclo, linda e ensimesmada, não sei até se entediada com esse mundo morno, (“Deus vomitará os mornos”), e com um olharzinho misteriosamente melancólico. Mas vem o facebook e o whatsapp e nos rouba de nós mesmos e tiraniza nosso tempo traiçoeiro.

Querida, eu me lembrei agora dum amigo, Fernando, que disse assim sobre o whatsapp: “Cara, não acrescenta nada a minha vida, mas eu passo o dia inteiro nisso.” E eu disse: “Você deveria ler mais, meu amigo. Ler como um leitor-escritor. Ler assimilando as idéias e alargando sua consciência. Ler para transcender e ler para escrever. Um grande homem disse: “Para elevar sua qualidade de vida eleve a qualidade do seu pensamento.”." E ler-escrever é solitário, pensar é solitário e, por incrível que pareça, essa "solidão estrutural" é saudável e indispensável para nosso desenvolvimento pessoal e qualidade de vida psíquica. É o momento em que nos voltamos para nós mesmos, em que o mundo não pode mais nos viciar com sua companhia repetitiva, esvaziante e infecunda, um consolo para algo que nos falta, algo que ansiamos encontrar, algo profundo e perfeito, algo divino e desalienante. O amor, baby?

tumblr_na9m16IB8S1r7eta3o1_500.jpg "No fundo, somos dois ursos, eu acho, o ursão e a ursona."

Então, através da leitura, aprendemos a cultivar a nós mesmos. E colecionar livros. Borges, um dos maiores escritores do mundo de todos os tempos disse “Que outros se orgulhem das páginas que escreveram, eu me orgulho das que li.”. Eu não acredito mais na vastidão vazia do mundo e nem em seus ilimitados e ininterruptos estímulos. É impossível ser feliz se não aprendemos a cultivar a nós mesmos em silencio e solidão. E depois que aprendemos a fazer isso, “cultivar o amor”, ou seja, o encontro com o outro, o encontro com o silencio e a solidão de outro ser humano a quem amamos, desejamos, respeitamos e admiramos. Eu só poderia dividir meu silencio e minha solidão com você. Porque você é a única pessoa na face da Terra que me encanta para além de mim mesmo de uma maneira arrebatadoramente irresistível. No fundo, somos dois ursos, eu acho, o ursão e a ursona. Sempre teremos nossa vida interior intensa e permanente. Não importa o quanto o mundo tente nos uniformizar, somos singulares, únicos e devemos nos orgulhar disso. Sinto saudade do seu sorriso sublime e de observar seus olhos doces.

Não proponho abster-nos das novas tecnologias, mas encontrar um meio-termo entre elas e nossa vida interna. Um meio termo entre nossa vida virtual e nossa vida real. Saber administrar esse meio-termo é o segredo para uma vida boa. Irei ler, já que não posso fazer o que mais queria agora: te amar, te abraçar, te beijar, te possuir e me entregar para ti. Afinal, existem mais de 3 bilhões de mulheres no mundo e eu só amo uma: você. (Eu te amo como amo minha mãe.) Seu espectro escarlate assombra meu coração e minha mente enquanto espero o doloroso degelo.

“Volta bandida, mata essa dor. Volta pra casa, fica comigo. Eu te perdôo com raiva e amor.” Tom Jobim, Gabriela

"Afinal, existem mais de 3 bilhões de mulheres no mundo e eu só amo uma: você." P.S.: Eu sei que você tem medo, mas não é preciso ter medo do amor verdadeiro. E o que é o amor verdadeiro? É o amor que cuida do outro para além do desejo. Eis meu amor intrépido. Venha, minha luz. "Vem me fazer feliz porque eu te amo..." Djavan, Oceano

Abaixo: um poema do formidável e fascinante poeta americano Walt Whitman, levemente modificado. Em verdade, eu atualizei o tempo do poema do passado para o futuro e do gênero masculino para o feminino. Se não fosse de uma infinita pretensão eu diria que “melhorei” o meigo e magistral Whitman. Recomendo a fonte original desse poema passional, o inigualável livro Folhas de Relva. Um versinho que me é muito caro do poema Velha Irlanda: “Em toda a terra seu coração é o que mais se enche de tristeza, porque é o que mais está cheio de amor.”

A UMA DESCONHECIDA

Desconhecida que passa! Não sabes por quanto tempo eu tenho pensado em ti,

Deves ser aquela que eu andava procurando e que desejava encontrar (vens para mim como num sonho),

Com certeza viverei uma vida de alegria contigo,

Tudo virá à tona em nossos corações quando adejarmos um sobre o outro, fluídos, afeiçoados, castos, maduros,

Tu crescerás comigo, será a minha menina e a minha mulher,

Comerei e dormirei contigo, teu corpo deixará de ser somente teu e o meu também deixará de ser somente meu,

Dar-me-á o prazer dos teus olhos, tua face, tua carne e, quando passarmos, tu levarás contigo os vestígios de minha barba, de meu peito, de minhas mãos em troca,

Não quero falar-te, quero pensar em ti quando me sento sozinho ou desperto sozinho na noite,

Quero esperar, não duvido que te encontrarei novamente,

Farei tudo para não te perder.

Acima: cena do filme Vanilla SKY. Afinal, todo Tão Cruise precisa da sua Penélope Cruz. Nunca me esqueci duma frase marcante e inesquecível desse filme: “Todo minuto que passa é uma nova chance de mudar tudo.”. Não é?

Para ler também: Para viver um bom amor


Thiago Castilho

Advogado e escritor, um homem de leis e letras. Acredito que a arte pode “ensinar a viver”. Ensinar a viver significa ensinar a lutar e a amar melhor a si e a toda humanidade. Adquirir o conhecimento e transformá-lo em sabedoria de vida no palimpsesto do pensamento. Eis meu ideal intelectual que busca realizar a experiência do autoconhecimento, não sei até se do absoluto e talvez do Sublime aplacando assim minha angústia existencial, sem soteriologia, porque ao contrário de Heidegger não acho que somos seres-para-a-morte, mas seres-para-a-vida e seres-para-o-amor. E “tornar-me senhor de mim mesmo” é o meu grande objetivo em busca de uma vida que vale a pena ser vivida..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// @destaque, @hplounge, @obvious, @obvioushp //Thiago Castilho
Site Meter