arcano do aleph

“Alho e safiras na lama...” T.S. Eliot, Quatro quartetos, 1943

Thiago Castilho

Advogado e escritor, um homem de leis e letras. Acredito que a arte pode “ensinar a viver”. Ensinar a viver significa ensinar a lutar pelos seus direitos e a amar melhor a si e a toda humanidade. Adquirir o conhecimento e transformá-lo em sabedoria de vida no palimpsesto do pensamento. Eis meu ideal intelectual que busca realizar a experiência do autoconhecimento, não sei até se do absoluto e talvez do Sublime aplacando assim minha angústia existencial, sem soteriologia, porque ao contrário de Heidegger não acho que somos seres-para-a-morte, mas seres-para-a-vida e seres-para-o-amor.

EXIGIR HONESTIDADE: UM TIRO NO PÉ (DEVASTADOR)

Agora imagina um sujeito que sabe que a mulher ama outro homem, sofre por outro homem, pensa em outro homem e deseja está com outro homem e mesmo assim não abre mão dela seja porque ele não tem dignidade seja porque ele gosta de ser corno.


automotivator (4).jpg Acima: Carlos Eduardo, o corno convicto da novela Velho Chico

"Você quer que eu seja honesta? Nunca te amei." Do filme Nunca te amei

A inteligência ímpar de algumas pessoas sempre me assombrou. Eu tenho visto por ai alguns pré-candidatos a cargos políticos que são genuínos e insignes intelectuais. Se eles escrevem tudo errado é por uma questão de “comunicação afetiva” com o povo. É preciso falar a linguagem que o povo entende, minha gente. É ou não é? A Língua portuguesa que se exploda no interior do inferno!!! E quanto às propostas políticas desses cidadãos distintos e elevados? Eu vi um prometendo “honestidade”. “Qual é o seu plano de governo, meu filho?” Ele responde: Honestidade. O cara é um aproveitador. Tem graça. Outra frase genial “Defender o interesse de todos”. Pausa para a diarréia. Ok, vamos nos entregar a honestidade e sejamos honestos. Para isso vamos responder a essas duas perguntas antes de tudo: 1. O que sentimos? 2. Qual é a verdade? Não foi você que pediu honestidade? Você sabia que Honestidade é um substantivo derivado de honos, palavra latina que significava dignidade e honra? Não é para abutres.

A política é como o amor. Existe o político que é amado e existe o corno convicto. O político que é amado é amado e isso é tudo. O amor não se explica, se sente. Segundo a ciência é uma emoção involuntária. Mas quem é o corno convicto? Imagina aquele cara obcecado por uma mulher que ama outro homem? Ele não a ama porque não se importa com sua felicidade real, apenas deseja possuí-la de forma espúria. Ora, isso não é amor, mas obsessão. Ora, ele sabe que não é amado, mas insiste em ficar com ela mesmo assim. Digamos que consiga ficar com ela por alguma abominação qualquer, seja porque a família apóia a opressão, o meio a manipula ou ela se sente por algum fator acidental presa a ele como um animal doméstico, mas ela não o ama e nunca amará porque ele não tem essência nem conteúdo para ser amado ou porque ela ama outro homem mesmo, o que já fulmina de morte outras pretensões porque só podemos amar uma pessoa nessa vida. O resto é uma mentira. Adianta mendigar amor? Que espécie de homem aceitaria sustentar uma relação humilhante assim senão um corno convicto?

Agora imagina um sujeito que sabe que a mulher ama outro homem, sofre por outro homem, pensa em outro homem e deseja está com outro homem e mesmo assim não abre mão dela seja porque ele não tem dignidade (afinal, seu meio, seus familiares e seus amigos sabem o que está acontecendo por mais que sejam complacentes eles riem dele pelas costas e sentem pena da mulher, os que têm consciência e são pessoas de bem, é claro. Os outros acham muito justo ela se submeter como um animal e ficar com quem não ama) seja porque ele gosta de ser corno. Então, há um churrasco em família, os amigos reunidos em torno de um teatro triste de tortura e falta de compaixão. Ele repara que ela está pensativa e aérea, hesita em interrogar, mas os chifres ou ciúmes lhe picam o orgulho e ele pergunta: “Em quem você está pensando, meu bem?” Ela o fita resignada e melancólica e diz: “Em você, meu bem.” (SQN!) E ele sorri satisfeito como todo covarde após violentar a vontade de sua vítima. Mas um dia a farsa terá fim e a opressão parará. A situação é insustentável. Todos podem ver isso com clareza. “Você nunca terá o amor de Teresa. Mesmo casado com ela por 30 anos eu nunca tive. Só há espaço para um homem no coração dela.” Da novela Velho Chico. Ninguém é obrigado a ficar com quem não ama e ser infeliz. Uma relação deve ter um mínimo de honestidade.

Algumas das frases da Novela Velho Chico:

“EU NÃO POSSO MAIS VIVER ESSA MENTIRA (...) NEGANDO O MEU AMOR!” SANTO

“É justo eu ficar ao seu lado pensando em outra?” Santo

"Eu cometi um erro. Me casar com você pensando que eu poderia aprender a te amar. É impossível viver uma vida inteira sem amor." Santo

“Se você não quer mais o seu marido, se separa dele. A escolha é sua. ” Coronel Sarué

“Você nunca mais irá desrespeitar o Santo na minha frente. (...) que pai é esse que não suporta a felicidade da própria filha?” Teresa

“A única coisa que eu sinto por você, Carlos Eduardo, é nojo!” Teresa, baseado em fatos reais


Thiago Castilho

Advogado e escritor, um homem de leis e letras. Acredito que a arte pode “ensinar a viver”. Ensinar a viver significa ensinar a lutar pelos seus direitos e a amar melhor a si e a toda humanidade. Adquirir o conhecimento e transformá-lo em sabedoria de vida no palimpsesto do pensamento. Eis meu ideal intelectual que busca realizar a experiência do autoconhecimento, não sei até se do absoluto e talvez do Sublime aplacando assim minha angústia existencial, sem soteriologia, porque ao contrário de Heidegger não acho que somos seres-para-a-morte, mas seres-para-a-vida e seres-para-o-amor..
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/recortes// //Thiago Castilho
Site Meter