arcano do aleph

“Alho e safiras na lama...” T.S. Eliot, Quatro quartetos, 1943

Thiago Castilho

Advogado e escritor, um homem de leis e letras. Acredito que a arte pode “ensinar a viver”. Ensinar a viver significa ensinar a lutar e a amar melhor a si e a toda humanidade. Adquirir o conhecimento e transformá-lo em sabedoria de vida no palimpsesto do pensamento. Eis meu ideal intelectual que busca realizar a experiência do autoconhecimento, não sei até se do absoluto e talvez do Sublime aplacando assim minha angústia existencial, sem soteriologia, porque ao contrário de Heidegger não acho que somos seres-para-a-morte, mas seres-para-a-vida e seres-para-o-amor. E “tornar-me senhor de mim mesmo” é o meu grande objetivo em busca de uma vida que vale a pena ser vivida.

MENOS EGO, MAIS AMOR!

“As ações falam mais alto que palavras, por isso certifique-se que suas ações não contradizem suas palavras.”.


amorcelular.jpg "Uma das peças mais recentes de Banksy, intitulada “Mobile Lovers” (amantes do celular) , também foi feita em Bristol. Esta referência não tão sutilmente a tecnologia moderna e adverte-nos a ter consciência de que estamos gastando nosso tempo e atenção no lugar errado." Josie Conti

Abaixo: uma reflexão sobre a "Street art" do misterioso artista e grafiteiro Banksy. Comento sumariamente os títulos de algumas obras suas e sobre a mensagem subliminar profunda de cunho político-social que elas encerram.

1. Definir limites morais: Para mim é essencial construirmos uma “ética pessoal” além duma ética coletiva e sermos invulneráveis às influencias malignas do mundo. Tolerância zero com o preconceito, a violência, as injustiças sociais, a corrupção política, etc...

2. Lembre-se de onde você veio: Das cavernas ao computador somos “humanos, demasiadamente humanos” como ironizava Nietzsche. Muitos de nossos hábitos são uma “lavagem cerebral” imposta pela indústria cultural vigente como a depravação hedonista de nossa era. Contudo, nossa vida não é um fastfoods. Essa velocidade vertiginosa é enlouquecedora e esvaziadora. Eu completaria dizendo: “Lembre-se para onde você vai.”.

3. Permita que suas ações reflitam suas palavras: Citando Banksy “As ações falam mais alto que palavras, por isso certifique-se que suas ações não contradizem suas palavras.”. Fuja da hipocrisia.

4. Nem tudo é o que parece: Qualquer um pode falar o que quiser, mas “Serão verdades suas palavras ou apenas sofismas para enganar crianças medrosas?” Shakespeare. Amo as palavras, mas preciso de provas para crer nelas porque a verdade sempre vem à tona.

esperança.jpg “There are always hope”- “Sempre há esperança.”

5. Sempre há esperança: A última a morrer, a durona. Se existe uma coisa que a experiência me ensinou foi a não eliminar a esperança de ninguém. Quem sou eu para fazer isso? Não tenho esse direito. Depois Deus adora nos surpreender. Surpreenda-nos!

6. Esforce-se pela paz: A paz é o princípio da sabedoria segundo os budistas. Acho que a sentença do artigo em questão “Em vez de recorrer à violência e a outras atitudes imaturas, devemos procurar ser razoáveis e justos.” Diz quase tudo sobre esse assunto. A paz surge do respeito ao outro. A justiça é essencial para a paz, não apenas entre os homens, mas para a paz psíquica, a “paz interior”. Quando fazemos justiça ficamos em paz conosco. Quem pode viver em paz sabendo que seu irmão está sofrendo? Eu já cometi o erro no passado de tentar impor minha opinião ao invés de expor meus argumentos. Não funcionou. Eu me arrependo e hoje me esforço pela paz. Eu desejo a paz acima de tudo. Paz é maturidade e felicidade.

7. Amor não é luxúria: Amor não é sexo. Amor é afeto. Amor é amor, amor é gentileza, cuidado e respeito. O desejo é um componente do amor, mas não é o principal. O objetivo do sexo é o prazer. O objetivo do amor é a felicidade. Sexo é intenso e efêmero. O amor é profundo e perpétuo. O sexo deve ser uma conseqüência do amor, mas um relacionamento fundamentado em sexo não dura seis meses. É preciso ter: o “amor inexplicável”, as afinidades intelectuais e morais além do projeto de vida comum.

8. Todo amor é válido: uma boa forma de pensarmos na indestrutibilidade dessa assertiva é o seguinte exercício intelectual: “E se meu amor fosse por algum motivo alvo de críticas e julgamentos, eu abriria mão dele?” É preciso ser honesto consigo mesmo e encarar o desafio de imaginar-se personagem dessa situação. Eu imagino que a maioria responderia com intrepidez: “NUNCA!”. Afinal, “todo amor é válido.”

9. Seja humilde: Eu tinha um professor na Faculdade de Direito que nos narrou a história de que a medida que o tempo passava e ele prosperava na carreira dizia para si mesmo “Seja mais humilde, Tiago”. Sim, ele era meu homônimo. Nunca esqueci, mas a verdade é que eu aprendi a lição da humildade depois de muito sofrimento subjetivo. Hoje percebo que não sou melhor nem pior do que ninguém e tento aplicar essa epifania ética em tudo que faço. Não é fácil ser humilde, é um exercício que devemos aperfeiçoar por toda a vida. Afinal, somos todos iguais: animais, racionais e mortais.

eternidade.jpg “O que você faz em vida, ecoa na eternidade.”

10. Utilize a bondade como arma: O que é o bem? Interpelam-se os filósofos ao longo do corredor milenar da História da Humanidade. A ONU surgiu após a Segunda Guerra Mundial com o objetivo de promover a paz entre os povos do mundo. O bem é, por definição, o oposto do mal. Todos querem o melhor para si. Qual foi a maior lição da história? “Amar ao próximo como a si mesmo.”. Deus é amor e amor é bondade. Numa palavra: Jesus! Símbolo máximo da compaixão, do amor, do perdão e da ressurreição. Assim, podemos tentar aprender a utilizar a bondade como arma para a paz e o bem.

11. Expresse-se: Emerson dizia isso “Você pode mentir para todos, menos para si mesmo.”. Mas Drummond ainda mais duro dizia “Não percas tempo em mentir.”. Ou seja, seja honesto e pague o preço. Diga claramente o que pensa e sente. É um direito seu. Expresse seu sentimento. Imponha sua vontade livre e soberana. Exija o respeito.

12. Não seja tão cheio de si mesmo: Em uma entrevista concedida a revista Veja ao ser copiosamente elogiado pelo jornalista Drummond disse “Eu fui um homem qualquer”. Depois de passar pela experiência da morte de pessoas queridas aprendi essa lição lancinante: “Você vai morrer, Thiago. Tente ser legal.”. Ser um gênio não basta. É preciso ser gentil.

13. Não deixe que os outros o intimidem: No filme Cruzadas um personagem diz ao outro “Seja valente para que Deus te ame.”. A medida que envelhecemos e amadurecemos nos tornamos mais conscientes de nossa liberdade individual e de que é essencial “preservar nossa privacidade pessoal”. Devemos agir sempre de acordo com nossa consciência e nosso coração e como um juiz justo e imparcial não devemos nunca nos deixar intimidar. Nossa ação deve ser pautada pelos nossos princípios inegociáveis.

14. Ouça seu coração: Steven Jobs a quem devemos agradecer por diversas tecnologias e designs desenvolvidos, etc... dizia “Siga seu coração, de certa forma ele já sabe o que quer. O resto é secundário.”. Ouvir o coração significa fazer as coisas por amor.


Thiago Castilho

Advogado e escritor, um homem de leis e letras. Acredito que a arte pode “ensinar a viver”. Ensinar a viver significa ensinar a lutar e a amar melhor a si e a toda humanidade. Adquirir o conhecimento e transformá-lo em sabedoria de vida no palimpsesto do pensamento. Eis meu ideal intelectual que busca realizar a experiência do autoconhecimento, não sei até se do absoluto e talvez do Sublime aplacando assim minha angústia existencial, sem soteriologia, porque ao contrário de Heidegger não acho que somos seres-para-a-morte, mas seres-para-a-vida e seres-para-o-amor. E “tornar-me senhor de mim mesmo” é o meu grande objetivo em busca de uma vida que vale a pena ser vivida..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// @obvious, @obvioushp //Thiago Castilho
Site Meter