arcano do aleph

“Alho e safiras na lama...” T.S. Eliot, Quatro quartetos, 1943

Thiago Castilho

Advogado e escritor, um homem de leis e letras. Acredito que a arte pode “ensinar a viver”. Ensinar a viver significa ensinar a lutar pelos seus direitos e a amar melhor a si e a toda humanidade. Adquirir o conhecimento e transformá-lo em sabedoria de vida no palimpsesto do pensamento. Eis meu ideal intelectual que busca realizar a experiência do autoconhecimento, não sei até se do absoluto e talvez do Sublime aplacando assim minha angústia existencial, sem soteriologia, porque ao contrário de Heidegger não acho que somos seres-para-a-morte, mas seres-para-a-vida e seres-para-o-amor.

SEXO, CASAMENTO E TRAIÇÃO

O corno não é o mero homem traído. O corno é o homem traído que aceita a traição. Existem dois tipos de traição, a sexual e a afetiva...


Acima: café filosófico com Will Goya, um grande pensador. Vale a pena assistir a sequência dessa palestra de 13 partes.

“Não existe pecado, exceto a estupidez.” Oscar Wilde

Assisti por indicação de uma verdadeira amiga ao Café filosófico acima que trata do tema tridimensional: sexo, casamento e traição. Foi informativo entre outras coisas saber a diferença da traição de homens e mulheres. Em suma, o homem trai na maioria das vezes por trair, pelo sexo em si e pela oportunidade e a mulher trai por baixo-estima, solidão, carência afetiva, vingança... Outra distinção notável é que o homem deseja o sexo pelo sexo e a mulher deseja “conexão e continuidade”. Se concluir que ambas serão impossíveis “Fim de caso”. Se me permitem uma reflexão pessoal sobre a traição:

O corno não é o mero homem traído. O corno é o homem traído que aceita a traição. Existem dois tipos de traição, a sexual e a afetiva. Os homens como são primitivos e luxuriosos não perdoam a primeira, mas as mulheres sabem que sexo é banal, qualquer um faz, pré-adolescentes se acabam um com o outro (talvez por isso as mulheres sejam propensas ao perdão duma infidelidade). Mas Amar não é um ato meramente físico e efêmero. Uma pessoa madura sabe que a pior traição que existe é a traição afetiva. Ou seja, a pessoa está com você pensando em outra, sofrendo por outra e desejando outra.

"Então saberei a quem agradecer!" T.S.Eliot, A terra desolada ("Irmãzinha querida...") ("Eu quero que você seduza Cecília para mim." Isabel, Ligações Perigosas)

Traição afetiva: isso sim é humilhação total. Isso me faz lembrar um antigo episódio de A Vida Como Ela É do Nelson Rodrigues. Eis a história: uma mulher casada, honesta e fiel decide trair o marido por “curiosidade carnal”, digamos assim. Afinal, ela se casou virgem (o que é isto, meu Deus?) e nunca teve outro homem na vida. Detalhe: a atriz que interpreta essa personagem é a Malu Mader nos áureos tempos. Ela vai a um bar cheio de homens e escolhe um “modelo burro”, explica a situação de que deseja trair o marido para saber como é, o cara endossa a idéia, eles vão para um motel, transam e quando terminam ele pergunta: “E então gostastes?” E ela responde: “Não!” e completa: “O meu marido é muito melhor do que você!” E finaliza dizendo: “Eu nunca mais vou trair o meu marido na vida.” O ator em questão era o Guillerme Fontes. Ele deve ter pensando: eu sou mais bonito, maior e, portanto, devo ser melhor do que o marido dela, mas “deu ruim”. Coisas da vida. Isso já aconteceu com você? Passa a bola, Romário...

O Cisne Negro tem uma teoria interessante sobre os adúlteros. Segundo ele ninguém se arrepende pela ação. O indivíduo se arrepende pelo resultado. Se o resultado tivesse sido feliz e satisfatório não haveria arrependimento e foda-se quem foi enganado. Ou seja, o traidor sempre só pensa em si mesmo durante todo o processo. É um egoísta e o egoísmo é o oposto do amor. Naturalmente uma pessoa solteira tem o direito de transar com quem bem-entender, mas não de fazer jogo duplo ou triplo. Isso é... deselegante.

sensacional.jpg "Sensacional..." "Seu marido!"

Enfim, para concluir, tudo tem conseqüências. Imagina sexo casual que resulta numa gravidez indesejada, é o famoso azar marsupial. Por isso é importante escolhermos bem com quem nos relacionamos. A obsessão com o sexo é infantil. O sexo é um fragmento do amor que é infinitamente mais complexo, raro e precioso. (É essencial ser ético para ser amado.) Do contrário, perdemos tudo por nada. Existe uma frase do Gabriel Garcia Marquês que expressa bem essa idéia: “O sexo é o consolo que a gente tem quando o amor não nos alcança.”. Eu quero amor, sexo e casamento sem traição. Eu quero encontrar uma boa mulher que seja assim como eu capaz de amar, respeitar e fazer feliz.

“Se eh 3,2 ou1 dia com v6, farei de cada segundo o mais inesquecivel...” Realmente.


Thiago Castilho

Advogado e escritor, um homem de leis e letras. Acredito que a arte pode “ensinar a viver”. Ensinar a viver significa ensinar a lutar pelos seus direitos e a amar melhor a si e a toda humanidade. Adquirir o conhecimento e transformá-lo em sabedoria de vida no palimpsesto do pensamento. Eis meu ideal intelectual que busca realizar a experiência do autoconhecimento, não sei até se do absoluto e talvez do Sublime aplacando assim minha angústia existencial, sem soteriologia, porque ao contrário de Heidegger não acho que somos seres-para-a-morte, mas seres-para-a-vida e seres-para-o-amor..
Saiba como escrever na obvious.
version 5/s/recortes// @obvious //Thiago Castilho
Site Meter