Molto Cortese


corto_maltese.jpg

Também eu soube da notícia: o Público vai passar a editar as aventuras de Corto Maltese.

Quase todos saudaram esta iniciativa. Eu não. Querem saber porquê?

Não sei bem dizer porquê... a verdade é que estas histórias sempre me irritaram! Achei e ainda acho tudo – a história, as personagens e até o seu autor – de uma presunção e de uma arrogância injustificadas. Talvez exagere; talvez pareça agressivo aos olhos dos admiradores da série, que sei serem muitos. (Reconheço que é daquelas coisas que ou se gosta ou se odeia).

Sabem a sensação que tenho? É de que o rei vai nu... Francamente, não acho as histórias nada de especial, o desenho tão pouco. Não é por se arranjarem uns enredos truculentos, pontos de vista “militantes”, personagens obtusos, diálogos literários e umas referências mais ou menos cultas ou eruditas mas abordadas pela rama que a coisa se torna uma obra prima!

Sou um grande apreciador e coleccionador de BD e nunca consegui gostar disto. Se é de aventuras que falamos prefiro o Tintin ou Blake e Mortimer. Tenho muita BD na minha colecção mas não o Molto Cortese. E vou continuar assim. Podem ficar com o meu exemplar do Público se quiserem...


version 1/s/bd / hq// //seven