Oświęcim – Brzezinka



Este nome pouco dirá à maior parte das pessoas. Trata-se de uma localidade na Polónia que, tal como muitas outras sob o domínio alemão durante a Segunda Grande Guerra, recebeu outra designação. Gdansk foi re-baptizada Dänzig, por exemplo, e Oświęcim veio a tornar-se conhecida pelo nome de... Auschwitz.

Estive aqui em 1995. A caminho de Cracóvia resolvemos fazer um desvio para conhecer a localidade, uma pequena aldeia simpática até. Não sei porque foi escolhida para este destino... Um pouco fora de mão situava-se o Campo 1, de dimensões relativamente pequenas, onde foram feitas as primeiras “experiências”. A sua organização era, basicamente, a de uma prisão ou de um campo de refugiados: várias “casernas” alinhadas e alternadas com pátios e mais alguns edifícios de apoio, tudo cercado por uma dupla cerca de arame farpado electrificado. A entrada era feita por um portão com a emblemática inscrição: “Arbeit mach frei” (o trabalho liberta).

Apesar de o dia estar bonito (era o mês de Julho) o campo mantinha um aspecto sinistro, com as suas cores tristes e as paredes sujas e degradadas. O tempo tinha parado ali. Mantinham-se diversos testemunhos da época: os colchões de palha onde dormiam os “refugiados”, a forca, o pátio onde eram feitos os fuzilamentos... Visitei tudo. Cheguei a entrar na câmara de gás. As casernas exibiam vários testemunhos documentais como pilhas de cabelos cortados, dentes arrancados, óculos, malas e pertences pessoais, fotografias (de frente e de perfil) de quem por lá passou... É impossível descrever os rostos daquelas fotografias...

Depois fui ao Campo 2 – Birkenau – situado um pouco mais longe. Não entrei mas sente-se um arrepio ao ver a imagem do fim da linha a passar por baixo do arco que dá entrada no campo. Aqui capitalizou-se a experiência adquirida no Campo 1: as casernas eram barracões sumários e não havia apenas uma câmara de gás... as chaminés dos fornos crematórios tinham uma presença impressionante.

Levei a máquina fotográfica mas não consegui fazer uma fotografia sequer. Trouxe apenas os dois postais que mostro aqui em baixo. O local tem direito ao silêncio.

oswiecim_1.jpg

oswiecim_2.jpg

seven

Co-fundador e ex-colaborador do obvious, actualmente retirado, foi responsável durante bastante tempo pela definição da linha editorial. Concebeu e coordenou a transição do blog para o formato de magazine.
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do obvious sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
x2
 
Site Meter