Energia



2005051800 Electricity-1Desde o advento das comunicações móveis, muito mudou na nossa vida e na das pessoas que nos rodeiam. O reflexo do ritmo de vida actual, a ânsia do contacto imediato e a disponibilidade total em toda a parte a qualquer hora. A evolução dos terminais móveis, vulgo telemóveis, sofreram imensas alterações nos últimos anos. Cada vez que me lembro do meu Ericsson R320, minúsculo na altura, um autentico tijolo nos padrões actuais, muito evoluiu desde então. De simples terminais de texto a uma autentica consola multimédia para os mais variados fins, os telemóveis são uma sombra do que eram, quer em termos de equipamento quer na finalidade que cumprem.

Contrariamente ao que se pode pensar, esta evolução está a ser travada por um simples facto: energia. A tecnologia de miniaturização existe, capacidade de processamento e comunicação também, mas com tudo conjugado teríamos autonomias ridículas. De que serviria um terminal móvel com meia hora de autonomia? Assistimos a inovações quase diárias nos outros ramos tecnológicos mas, aparentemente, a boa e velha bateria parece algo imutável. Tirando as teorias da conspiração que apontam o dedo ao lobby dos tubarões dos combustíveis fosseis, as novas tecnologias da comunicação acabaram por catalisar diversos grupos de investigação para que possamos dar um bom salto qualitativo nesta área. Ficam duas das diversas iniciativas que actualmente estão em curso, que de resto são extremamente interessantes:

- Baterias que duram décadas, em vez de horas - Cientistas da Universidade de Rochester já demonstraram um método de fabricação que se demonstra ser dez vezes mais eficiente que as actuais baterias nucleares com cerca de 200 vezes mais eficiência. Chama-se BetaBatt.

- Baterias com combustível Biológico - Arrancado ou não do filme Matrix, um grupo de investigação desenvolveu uma bateria que funciona com sangue. Sem que sejam usadas quaisquer substâncias tóxicas, abrindo a porta para a solução do fornecimento de energia a orgãos humanos artificiais, como por exemplo, o coração. A bateria usa uma substância baseada na vitamina K3 para drenar electrões da glucose do sangue. Link.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do obvious sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
x3
 
Site Meter