Os filmes da minha vida - 2001: Odisseia no Espaço



2005052800 2001 A Space Odyssey2001: Odisseia no espaço, é um marco dos filmes de ficção científica, sendo defendido por muitos como provavelmente o melhor do género. Coincidências à parte, foi lançado em 1968, precisamente no auge da corrida espacial entre os US e URSS, contendo uma espectacularidade única, prescindindo de diálogos em favor de imagens e efeitos especiais espectaculares. O resultado do trabalho de Stanley Kubric foi algo de profundo, visionário e deslumbrante. É-nos dada uma experiência única através do silêncio e da vastidão do espaço que o filme nos retrata, permitindo à nossa imaginação e subconsciente especular sobre os diversos significados possíveis do que estamos a ver.

O primeiro dialogo surge apenas após a primeira meia hora, havendo menos de 40 minutos no total. Grande parte do filme é passado em silêncio, precisamente como no espaço, onde não se propaga o som, ou então ouvindo o som da respiração humana dentro do fato espacial. Todas as cenas do filme tem dialogo ou musica (ou silêncio), mas estes nunca se conjugam.

2001: Odisseia no espaço, na minha opinião, não é um filme fácil. Seguramente é dos filmes que mais visualizei, e constantemente descubro coisas novas, significados diferentes, que variam com a minha própria evolução como humano, tal como é retratado no próprio filme, cujo cerne é a constante evolução da humanidade. O primeiro contacto com o filme não foi dos melhores. A tenra idade e a imaturidade, que buscavam um contexto explícito e básico, não me permitiram perceber grande parte do que se pretendia transmitir, mas uma pontinha de avidez de conhecimento acabou por me levar ao encontro desta obra por diversas vezes. Não pretendo aqui fazer uma análise de todo o filme, mas vale apena uma visita a este site, que fornece uma interpretação muito interessante do mesmo.

Para quem não viu 2001, é um filme a ver...

Um última nota para a música, lindíssima: Richard Strauss - Thus Spake Zarathustra

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do obvious sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
v1/s
 
Site Meter