Asa


060126_bd_asa.jpg

A editora Asa está a fazer um excelente trabalho em prol da divulgação da Banda Desenhada em Portugal, após vários anos de monopólio da Meribérica. Na verdade esta última, apesar de ter posto no mercado numerosos álbuns dos clássicos de expressão franco-belga, ficou muito aquém do que deveria ser a sua missão. Os livros eram caros, mesmo com a simples capa "mole" (os raros álbuns cartonados nem se fala!), a qualidade gráfica deixava muito a desejar e, pior que tudo, não dava continuidade às séries que iniciava - característica esta que me revoltava e revolta profundamente!

As publicações que a Asa está agora a lançar são de excelente qualidade: papel, impressão, informações sobre a obra e os autores, capas cartonadas... Só a tradução ainda deixa a desejar (chamar Matasétix ao mui consolidado Abraracourcix é uma refinada heresia!)... Além disso a editora parece firme na estratégia de consolidar colecções, o que é do mais elementar bom senso - eu diria que é um desígnio nacional fazer com que haja uma biblioteca básica dos essenciais da BD! Assim, foi sob a chancela desta editora que pela primeira vez se viu uma edição portuguesa das primeiras histórias de Lucky Luke: Oklahoma, Rodeo, etc.

Mas não são só as séries clássicas incompletas que merecem atenção. Colecções já iniciadas pela editora são continuadas. Chamo a atenção para o Tomo 4 da série Bouncer e o inefável Iznogoud! E novos lançamentos essenciais se lhe têm vindo a juntar, como o primeiro volume da série Mort Cinder, de Alberto Breccia (absolutamente imperdível!), e uma relíquia: João Pistolão, um herói pouco conhecido originário dos primeiros tempos de colaboração entre Uderzo e Goscinny, anterior mesmo a Humpá-Pá (também já editado pela Asa).

Esperemos que esta editora tenha asas para voar no céu fantástico da Banda Desenhada...


version 1/s/bd / hq// @obvious, @obvioushp //seven