Espelhos


 Fotografia Pintura Duane Michals Ilusao Surrealismo

O post de ontem dá que pensar. Como tudo o que vemos à nossa volta é ilusório, como os nossos sentidos se deixam enganar, como não podemos ter a certeza de nada... A pintura é uma ilusão - não espelha o real; a fotografia sim. Isto pensavam os pintores do século XIX quando confrontados com um aparelho que nalguns instantes reproduzia fielmente (ou quase, naquela altura) o que lhes levava imenso tempo e trabalho a conseguir. Felizmente que assim pensaram pois que isso lhes permitiu trilhar novos caminhos, cumprindo o vaticínio de Gustave Moreau: Vocês vão simplificar a pintura! Mas a fotografia também não representa o real: lida apenas com imagens susceptíveis de ser trabalhadas plástica e semanticamente, tal como a pintura. Pode tornar-se tão surreal e abstracta que parece real e vice-versa...

Duane Michals, de quem já aqui se falou, é um fotógrafo da fronteira entre o real e o surreal. Tal como René Magritte, tema também de um post nosso, joga com as imagens de modo ilusionista e misterioso, com recurso frequente a espelhos e ilusões ópticas. Não é por acaso, certamente, que é comum o pintor belga aparecer retratado nas fotografias de Michals, como se de uma cumplicidade entre ambos se tratasse. De que lado do espelho está o real, de que lado estamos nós?

 Fotografia Pintura Duane Michals Ilusao Surrealismo

 Fotografia Pintura Duane Michals Ilusao Surrealismo

 Fotografia Pintura Duane Michals Ilusao Surrealismo

 Fotografia Pintura Duane Michals Ilusao Surrealismo

 Fotografia Pintura Duane Michals Ilusao Surrealismo


version 1/s/fotografia// @obvious, @obvioushp //seven