D. I. S. C. O.



 Musica Disco Sound Discoteca Danca

Os anos 70' foram uma época de efervescência musical. O aparecimento do disco sound trouxe consigo uma alteração profunda na maneira de ouvir e consumir música, talvez mais profunda do que a introdução dos novos formatos digitais e sua divulgação e aquisição através da internet. Foi a descoberta da música produzida, tornada objecto de consumo massificado. Os produtores, os técnicos de som e os disco-jockeys passaram a desempenhar um papel bem importante do que os músicos e compositores em si.

Recorde-se que, até então, não havia propriamente algo a que se pudesse chamar inequivocamente "música de dança". Existiam vários géneros musicais mais ou menos dançáveis, da valsa ao twist, que eram dançados em festas, bailes ou pubs. O disco surge associado ao aparecimento das discotecas a ponto de ser chamado literalmente música tipo discothèque.

Fosse uma das causas ou consequência dela o que é facto é que se verifica nesta altura uma grande transformação social, sobretudo ao nível das camadas mais jovens. As discotecas tornam-se o lugar de peregrinação da malta mais nova. O sábado à noite torna-se um tempo de evasão, frenesim e excesso que o domingo de manhã apazigua, tendência que é institucionalizada pelo filme Saturday night fever.

Nas discotecas ouvia-se e dançava-se música disco enlatada em vinis e fornecida em quantidades industriais de decibéis. Aglomerando-se nas pistas de dança o povo reproduzia movimentos corporais lascivos do alto dos seus tacões altos com os seus penteados afro e as suas patilhas farfalhudas unidas ao bigode, espartilhado na sua roupa justa ornada de cornucópias. Tresandava a drunfos e a suor. Ninguém reparava na qualidade da música, obviamente.

Pessoalmente acho que com o disco a música desceu muito baixo. Tornou-se estereotipada, repetitiva e pouco imaginativa; contribuiu para a diminuição dos padrões de gosto musical; ofuscou outros géneros musicais e levou muita gente ao desemprego ao substituir a música ao vivo por música enlatada e os executantes por disco-jockeys. Sempre preferi a música ao vivo, mas isso é tema para outro post...

Inspirado aqui

D.I.S.C.O She is disco

She is D delirious She is I incredible She is S superficial She is C complicated She is O oh, oh, oh

She is D desirable She is I irresistible She is S super sexy She is C such a cute She is O oh, oh, oh

D.I.S.C.O. She is disco

She is D disasters She is I impossible She is S super special She is C crazy, crazy She is O oh, oh, oh

She is D delightful She is I incredible She is S sensational She is C sweetest candy She is O oh, oh, oh

D.I.S.C.O She is disco

D.I.S.C.O., Ottawan

seven

Co-fundador e ex-colaborador do obvious, actualmente retirado, foi responsável durante bastante tempo pela definição da linha editorial. Concebeu e coordenou a transição do blog para o formato de magazine.
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do obvious sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
v9/s
 
Site Meter