Boeing 307 Stratoliner


 Avioes Boeing 307 Stratoliner Howard Hughes Aviacao Comercial Pressurizacao

Saído das oficinas da Boeing em 1937, o modelo 307, também denominado Stratoliner, possuía numerosas afinidades com o famoso B-17 Flying Fortress da mesma empresa. Ao contrário daquele, porém, um enorme e desagradável bombardeiro, o 307 foi concebido como um pequeno e confortável avião comercial com capacidade para 33 passageiros. Este conforto advinha-lhe não só do facto do seu interior ser pressurizado, permitindo-lhe voar a grandes altitudes, acima das turbulências, mas também da forma cilíndrica da fuselagem responsável pelo generoso espaço interior. Pode dizer-se que o 307 estabeleceu os padrões dos modernos aviões de carreira: um quadrimotor pressurizado com uma tripulação de cinco membros, entre os quais um engenheiro de voo.

Tinham sido construídos 10 exemplares deste modelo quando rebentou a 2ª guerra mundial, pelo que a produção cessou e todos os esforços se passaram a concentrar nos modelos militares, como o B-17. O excêntrico milionário Howard Hughes adquiriu um dos que pertenciam à frota da TWA e transformou-o no primeiro transporte aéreo executivo. O magistral desenho do seu interior ficou a cargo do designer industrial Raymond Loewy, com sugestões da actriz Rita Hayworth, diz-se... Hoje em dia resta apenas um exemplar deste soberbo avião, totalmente restaurado, no http://www.nasm.si.edu/" target="_blank">National Air & Space Museum.

 Avioes Boeing 307 Stratoliner Howard Hughes Aviacao Comercial Pressurizacao

 Avioes Boeing 307 Stratoliner Howard Hughes Aviacao Comercial Pressurizacao

 Avioes Boeing 307 Stratoliner Howard Hughes Aviacao Comercial Pressurizacao

 Avioes Boeing 307 Stratoliner Howard Hughes Aviacao Comercial Pressurizacao

 Avioes Boeing 307 Stratoliner Howard Hughes Aviacao Comercial Pressurizacao

 Avioes Boeing 307 Stratoliner Howard Hughes Aviacao Comercial Pressurizacao


deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do autor do artigo sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
version 2/s/recortes// @obvious, @obvioushp //seven