Caligrafia Árabe



2007051900_blog.uncovering.org_letras_artes_caligrafia_arabe_qalam.jpg

No Islã, as letras e palavras faladas ou escritas adquirem em suas formas, tamanhos, música e cores o papel central na concretização das mensagens e princípios da religião e cultura árabes. Esse movimento pôde emergir porque, ao contrário de muitas religiões, desde seu início, os líderes muçulmanos desincentivaram o uso de imagens de figuras temendo que tivessem usos e fins idólatras. Desta feita, a caligrafia e os sinais gráficos da língua obtiveram lugar de destaque na convergência dos sentimentos visíveis e concretos das mensagens do Qur’an.

O alfabeto árabe pertence, segundo a classificação de estudos recentes, ao grupo alfabético semítico onde as consoantes são destacadas e as vogais secundarizadas – a escrita ou não das vogais é opcional. Trata-se, particularmente, do grupo Norte Semita que se desenvolveu por volta de 1700 a.C. na Palestina e na Síria e de onde também se originaram os alfabetos Hebreu e Fenício. Na noroeste da Arábia, esta escrita prevaleceu (o mesmo conjunto alfabético seria apropriado pelos gregos que lhe introduziriam vogais e lhe especializaria até que tomasse a forma do Romano Arcaico, ancestral da escrita Ocidental de hoje) relacionando-se com a escrita Nabatica de onde deriva o Aramaico. Esta caligrafia floresceu no século V entre as tribos arábicas de Hirah e Anbar e popularizada pela aristocracia Quraysh, tribo do profeta Maomé.

Como as demais escritas semíticas, a escrita árabe é feita da direita para a esquerda e consiste em 17 caracteres que, combinados com a colocação de pontos, acima ou a baixo de cada um deles, originam as 28 letras do alfabeto oficial – há ainda outros símbolos correspondentes às vogais já que sua supressão tornou o entendimento confuso nos países para onde o idioma árabe se expandiu mas de origem linguística mais diversa. Um seguimento contínuo das ascendências verticais e descendência das curvas equilibram movimento e estática e possibilitam infinitas variações dentro dos seus principais estilos: Deewani, Kufi, Naskh, Riqa, Taliq e Thuluth.

Os materiais utilizados para a escrita também atendes à demanda da função mas, costumeiramente, os escritos são realizados com o qalam, uma espécie de caneta feita com capim seco e molhada na tinta. Todavia, podem ser encontrados trabalhos esculpidos em pedras, moedas e medalhas, tecidos, quadros e pratos

A feitura dos caracteres confere à escrita árabe peculiaridades que a torna sobremaneira elegante e, como foi dito, o lugar de destaque que as palavras têm dentro no Islã, incentivaram os usos artísticos do alfabeto como pinturas, tapeçarias e pratarias, ou seja, a construção das palavras tornou-se arte, a arte visual da escrita. Uma arte símbolo de unidade, beleza, cultura e poder; convergindo tanto os falantes da língua quanto os mulçumanos de todo o mundo incorporando estéticas e integrando conhecimento artístico com o acadêmico de uma cultura onde as formas escritas servem à transcendência do dito ou do objeto representado.

Arabia Caligrafia Islan Arte Letras Alcorao Quran Mustafa Halim Kufik Hassan Massoudy Turquia Egito Semita Bismillah Arabia Caligrafia Islan Arte Letras Alcorao Quran Mustafa Halim Kufik Hassan Massoudy Turquia Egito Semita Bismillah

Arabia Caligrafia Islan Arte Letras Alcorao Quran Mustafa Halim Kufik Hassan Massoudy Turquia Egito Semita Bismillah Arabia Caligrafia Islan Arte Letras Alcorao Quran Mustafa Halim Kufik Hassan Massoudy Turquia Egito Semita Bismillah

Arabia Caligrafia Islan Arte Letras Alcorao Quran Mustafa Halim Kufik Hassan Massoudy Turquia Egito Semita Bismillah

Arabia Caligrafia Islan Arte Letras Alcorao Quran Mustafa Halim Kufik Hassan Massoudy Turquia Egito Semita Bismillah Arabia Caligrafia Islan Arte Letras Alcorao Quran Mustafa Halim Kufik Hassan Massoudy Turquia Egito Semita Bismillah

Arabia Caligrafia Islan Arte Letras Alcorao Quran Mustafa Halim Kufik Hassan Massoudy Turquia Egito Semita Bismillah

Arabia Caligrafia Islan Arte Letras Alcorao Quran Mustafa Halim Kufik Hassan Massoudy Turquia Egito Semita Bismillah

priscilla santos

é adoradora de cervejas e colabora com a obvious.
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do obvious sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
x28
 
Site Meter