Tcheka, de Cabo Verde para o mundo



 Musica Cabo Verde Tcheka World Music

Nascido na Ilha de Santiago, ligado aos trabalhos do campo e interpretado tradicionalmente no terreiro pelas mulheres que percutem a tchabeta, o batuque acompanha um cântico, o finaçon, que as mulheres improvisam ao sabor das circunstâncias e do próprio auditório. Segundo a tradição africana as cantoras comentam os acontecimentos da aldeia e celebram as festas agrárias, os casamentos, os baptizados e os óbitos.

Mas a tradição foi decididamente ultrapassada pela tentativa de afirmação da identidade africana de um povo insular umbilicalmente ligado ao continente, e hoje, cantores como Manuel Lopes de Andrade, ou mais simplesmente Tcheka, encetam pelo batuque o mesmo trabalho de modernização que nos anos 70 Katchass realizou pelo outro ritmo rei de Santiago - o funana.

Dar ao batuque uma nova interpretação com um estilo muito próprio mas respeitando sempre a sua estrutura tradicional, é a mensagem que transporta o primeiro registo de Tcheka “Argui!”, que em crioulo significa levantar-se, pôr-se à frente, mensagem reafirmada com o segundo álbum “Nu Monda” onde transpõe para guitarra ritmos habitualmente tocados em instrumentos de percussão, num blues lunar que nos transporta para a árida e grandiosa paisagem de Santiago.

Merece a pena ouvir estes duas composições plenas de ritmo e dominadas pela singular voz de uma das certezas da música cabo-verdiana.

jr

um homem do mundo.
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do obvious sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
x1
 
Site Meter