Ananga-Ranga: manual indiano sobre sexo


 Gravuras Desenho Imagens Eros Erotismo Sexo Indianas Miniaturas Arte Manual

A arte erótica indiana deve ser vista à luz do Hinduísmo. Na mitologia indiana Kama designa o Deus do Amor. A mesma palavra refere-se também à busca do prazer, um dos aspectos fundamentais conducentes à salvação da alma. Não admira, por isso, que o sexo desde longa data se tenha revestido de tanta importância para os indianos. Disso nos dá conta o Kama-Sutra, um livro clássico sobre erotismo e outras formas do prazer humano.

O Kama-Sutra foi escrito há cerca de 1500 anos por um homem santo, Vatsyayana. Ao que se julga, trata-se de uma compilação e sistematização de antigos textos sobre sexo, alguns com 3000 anos. A fama de que goza deve-se não só ao seu conteúdo como também ao seu carácter único. Sabe-se, no entanto, que os textos e sobretudo as gravuras eróticas eram bastante comuns na Índia (como, aliás, em todo o Oriente), embora poucas tenham sobrevivido nos dias de hoje.

No Ocidente o Kama-Sutra apenas foi conhecido em 1883, em Inglaterra, através de uma edição privada com o subtítulo The Hindoo Art of love. Outra obra de teor idêntico, bastante menos conhecida e muitíssimo mais rara, chama-se Ananga-Ranga e contém, para além de textos, um número considerável de gravuras eróticas de boa qualidade. O seu autor é, desta feita, um poeta: Kalyana Mall. Publicada em Inglaterra 10 anos antes como A Boat in the Ocean of Love permanece até hoje como o mais importante manual indiano ilustrado sobre sexualidade e relações entre os sexos.

 Gravuras Desenho Imagens Eros Erotismo Sexo Indianas Miniaturas Arte Manual

 Gravuras Desenho Imagens Eros Erotismo Sexo Indianas Miniaturas Arte Manual

 Gravuras Desenho Imagens Eros Erotismo Sexo Indianas Miniaturas Arte Manual

 Gravuras Desenho Imagens Eros Erotismo Sexo Indianas Miniaturas Arte Manual

 Gravuras Desenho Imagens Eros Erotismo Sexo Indianas Miniaturas Arte Manual


deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do autor do artigo sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
version 11/s/artes e ideias// @obvious, @obvioushp, eros //seven
Site Meter