A r/evolução da informação


2007101200 Blog.Uncovering.Org 20060305 Iphoto Digital

Michael Wesch já aqui foi falado aquando do seu brilhante trabalho em vídeo que tão bem descreve a metamorfose da Web e a mudança de paradigma rumo à versão 2.0. Mas a Web só por si não é nada, é estéril, é unicamente um veículo que serve de tubo de ensaio para a evolução de conceitos que, cada vez mais, se assemelham a um organismo vivo que vai sofrendo mutações ao longo da sua existência.

Capturar a essência da r/evolução Web e transmiti-la a outros revela-se uma tarefa extremamente difícil de se levar a cabo. Não que os conceitos sejam complexos ou difíceis de compreender mas, ao tentarmos fazê-lo, temos obrigatoriamente de transmitir todo um vasto conjunto de intrincadas relações entre conceitos, bem como as suas implicações. Foi algo semelhante que Michael Wesch sentiu quando pela primeira vez tentou descrever a WEB 2.0.

Tentava descrever um conceito dinâmico, visual e participativo num formato estático que representava a antítese do que pretendia transmitir. Realizou então o vídeo que se tornaria num ícone da Web 2.0. Ironicamente, este vídeo viria a tornar-se numa metáfora viva do conceito que Wesch tanta dificuldade tinha em transmitir. Através dos conceitos da Web 2.0, para além da descrição do que pretendia, o vídeo tornou-se ele próprio numa prova viva do que é a Web 2.0, contando já com mais de 3.5 Milhões de visualizações e 6.000 comentários no YouTube.

No entanto, o trabalho deste professor de Antropologia da Universidade do Kansas não ficou por aqui. Realizou também Information R/Evolution. Afinal o que é a Informação? Como a caracterizamos? É uma "coisa"? Tem alguma localização lógica? Onde pode ser encontrada? Numa prateleira? Num Filesystem? Inserida numa categoria? Este vídeo explora a forma como nós encontramos, guardamos, criamos, criticamos e partilhamos informação.

Este outro vídeo resume alguns dos aspectos mais importantes dos alunos de hoje - como aprendem, o que precisam de aprender, os seus objectivos, esperanças, sonhos, o que esperam e que tipo de mudanças se espera que venham a sentir ao longo de suas vidas.


obvious magazine

There are those that look at things the way they are, and ask why? I dream of things that never were, and ask why not?
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do autor do artigo sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
version 2/s/tecnologia// @obvious, @obvioushp //obvious magazine