abraçando jacaré, o quinteto maravilha


071002_blog-uncovering.org_chorinho-portinari.jpg Chorinho - Cândido Portinari

É voz corrente entre músicos e estudiosos da música brasileira que o choro é uma "maneira" de tocar, antes de constituir um género musical em si. Fruto do seu caráter mestiço, portador de heranças europeias e africanas amalgamadas há mais de um século, do seu lirismo, requinte, swing e humor, que configuram, de forma dinâmica, um modo muito próprio de ver e sentir o mundo, o choro mantém-se hoje vivo e permanentemente renovado.

Abraçando Jacaré, cujo nome é o título de um choro do mestre Pixinguinha, é um grupo formado por jovens e talentosos músicos com uma extraordinária capacidade de improvisação e um repertório livre de preconceitos puristas, que lhe permite viajar por choros, polcas, maxixes, sambas, frevos, clássicos e inéditos com uma energia e um virtuosismo que seduz o ouvido mais empedernido. Formado por Alexandre Bittencourt (flauta e sax), Roberto Santa Marta (bandolim e cavaquinho), Fernando Duarte (violão sete cordas), João Callado (cavaquinho) e João Hermeto (pandeiro), Abraçando Jacaré existe desde 1997, e fez a maior parte do seu percurso musical apresentando-se no saudoso Semente à Lapa e no Antiquário Rio-Scenarium.

O único disco da banda, "Um Abraço No Jacaré", de 2002, para além de conter interpretações fabulosas de alguns clássicos de Jacob do Bandolim, João dos Santos, Luperce Miranda e Bonfiglio de Oliveira, coloca definitivamente o grupo, com composições como "Um abraço no jacaré", "Carmem", "760" e "Pé no Nordeste", todas de autoria de Roberto Santa Marta e "Varandinha" de João Callado, na ribalta dos compositores e instrumentistas brasileiros deste género musical.

Por mais "duro de ouvido" que seja, experimente, mesmo assim, deixar-se conduzir pela sonoridade deste quinteto maravilha...

"Um abraço no jacaré" (excerto)


deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do autor do artigo sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
version 1/s/música// @obvious, @obvioushp //jr