Viagens #21: obrigada, Sr. Luis Figo


 Tajana Marrocos Viagens Humor Figo Luis Egidio Melendez - Natureza morta com figos (1746)

Não venho agradecer a Luís Figo tudo o que fez pela imagem do desporto português. Nem o bem que faz à vista. Nada disso. Apenas o jeito que tem dado nas minhas viagens. Encontrei-o por onde andei - o nome (geralmente equipado pelo Barça...) estampado nas costas dos rapazes. Na Bulgária, em Cabo Verde, em Marrocos. Ele está em toda a parte.

Figo já me valeu o perdão de duas multas de trânsito em Marrocos. Na minha primeira passagem pelo Atlas, no planalto do Tarkeddit, a 3000 m de altitude, onde os nómadas levam os rebanhos no Verão e os turistas mal sabem nessa última noite o que os espera na subida do M'Goun - na única loja do planalto, um barraco de 4m quadrados, o vendedor desfez-se num sorriso que lhe esticou o bigode como um acordeão quando soube que eu era portuguesa, e resumiu numa única palavra todo o amor que pode haver entre os povos: "Figo!"

Deus o conserve, e o mantenha vivo na memória das nações.

Em termos de futuro, não sei quem poderemos mais invocar, mas é urgente pensar nisso. Em conversas, já registei um Quaresma e três Decos. Mas não é a mesma coisa. Já o Cristiano Ronaldo, estranhamente, não é muito falado. Talvez por aqui em Marrocos se seguir pouco o campeonato inglês. Ainda assim, há dias na televisão, no cenário duma série marroquina, vislumbrei um poster numa parede e tive um pressentimento que se confirmou numa aproximação da câmara: era ele, o nosso menino, de boca meio aberta e carinha afogueada.

E para além do futebol, o que se sabe de Portugal em Marrocos? Quase nada. Em alguns casos, nem se sabe que existe. Ou, existindo, é seguramente um pais onde se fala espanhol ou francês, e atira-se o palpite de que fica na Europa. Mas o que me custou verdadeiramente foi que a única noticia do pais que vi aqui nas TVs locais fosse sobre o nonagésimo aniversario das aparições de Fátima. Não sei se se trata de um lobby inter-religioso. Mas aposto que ninguém perdoa multas à conta da irmã Lúcia. Essa é que é essa.

tajana AvatarTajana é colaboracionista e parasita ocasional do obvious. Acredita que há uma única forma correcta de comer bolos de arroz. E mai-nada.


deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do autor do artigo sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
version 1/s/recortes// @obvious, @obvioushp //tajana