petróleo curdo, amigo, os yankees estão contigo


 Curdistao Iraque Turquia PKK Guerra Petroleo EUA Curdos

Os curdos, estimados em 25 a 35 milhões, são o povo sem Estado mais numeroso do mundo. Espalhado pelo mundo em Diáspora pela Turquia, Iraque, Síria e Irão, o sonho da nação curda em constituir um Estado foi sendo desde a Primeira Guerra Mundial primeiro considerado e depois apunhalado pelas grandes potências, ao sabor da geoestratégia política e económica. Exaustos por anos de atropelos à sua dignidade e integridade física, anos de verdadeiro genocídio, como o que aconteceu no Iraque sob a batuta de Sadam Hussein, a nação curda está prestes a sofrer mais um atropelo e de novo disposta a pegar em armas pela enésima vez na sua longa história.

 Curdistao Iraque Turquia PKK Guerra Petroleo EUA Curdos

Num conflito que se arrasta há décadas, os curdos iraquianos, no passado timidamente apoiados pelo Ocidente, combatem sem grande sucesso os sucessivos governos de Bagdad e os curdos turcos, cerca de um quinto da população da Turquia avaliada em 60 milhões, e têm sofrido enormes perseguições às mãos das forças de segurança do governo, especialmente desde que o PKK - Partido dos Trabalhadores do Curdistão - deu início à luta pela independência em 1984.

Rotulados de terroristas pelo governo de Ancara, Abdullah Öcalan e o seu PKK inegavelmente fizeram pelos curdos o que anos de oposição pacífica não conseguiram: colocar a sua causa na agenda dos líderes ocidentais que prefeririam ignorá-los e atrair com a sua luta violenta a atenção do mundo. O exército turco prepara uma incursão às bases do PKK do norte do Iraque em retaliação pelos ataques dos independentistas, com o mais que provável beneplácito do governo iraquiano que, apesar das promessas de controle dos separatistas do PKK na Região Autónoma do Curdistão Iraquiano para agradar ao vizinho incómodo, não quer colocar em ebulição a única zona do país que depois da queda de Saddam se mantém ainda estável e próspera.

 Curdistao Iraque Turquia PKK Guerra Petroleo EUA Curdos

A Turquia, que é um pilar da política dos EUA no Médio Oriente e tem uma nova parceria com Israel que é vivamente encorajada pelos americanos, é, para além do mais, membro de pleno direito da NATO. A Europa não gosta da postura turca mas a preservação das relações dentro da NATO é bem mais importante que um genocidiozito em potencial. Mas ainda que EUA, Ocidente e NATO assistam ao desenrolar dos acontecimentos contorcendo-se politicamente para agradar a iraquianos e turcos sem hostilizar muito os curdos, que propósito move realmente todos estes actores nesta ópera no mínimo bufa?

O petróleo curdo, pois claro.

Precisamente o mesmo que constitui o leitmotiv do "firme propósito americano em conduzir o povo iraquiano à autodeterminação" e que abunda na região norte do Iraque, nomeadamente no mega campo petrolífero de Kirkuk, reivindicado pelos curdos como fazendo parte integrante do seu território, pretensão que é liminarmente refutada pelo poder de Bagdad e pelos Yankees que com os seus tanques defendem com unhas e dentes os seus interesses e os das grandes petrolíferas internacionais com quem despudoradamente partilham o saque.

E vai ser esta riqueza imensa que vai determinar a sorte, ou melhor, a não sorte, dos curdos iraquianos em particular e da nação curda em geral. Simbiose perfeita: os turcos não querem sob nenhum pretexto um Estado Curdo, muito menos com petróleo, e os americanos querem o petróleo dos curdos. Muito razoável para todos os intervenientes...menos para os curdos. Coberto de razão, um velho provérbio curdo reza assim: "Os nossos únicos amigos são as montanhas". Infelizmente meus amigos, infelizmente.

 Curdistao Iraque Turquia PKK Guerra Petroleo EUA Curdos

 Curdistao Iraque Turquia PKK Guerra Petroleo EUA Curdos


deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do autor do artigo sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
version 1/s/recortes// @obvious, @obvioushp //jr