a era do jacto particular supersónico


Aviao Jacto Voar Ceu Particular Luxo Concorde Air France British Airways

Em Outubro de 2003 o mais notável avião comercial do mundo fazia o seu último voo. Os custos de manutenção elevados, o alto índice de ruído, consumo e poluição ditaram que a Air France e British Airways retirassem de serviço um dos mais carismáticos aviões de passageiros da história - o Concorde. No entanto, não foi o fim da era supersónica dos voos comerciais.

Pelo menos duas companhias - S.A.I e Aerion - tem já planos e protótipos para entrar na corrida da comercialização do primeiro jacto privado capaz de quebrar a barreira do som. Apesar de haver diversos constrangimentos relativamente à velocidade máxima que pode ser alcançada ao sobrevoar terra - devido ao impacto sónico que pode ser ouvido quando um jacto ultrapassa a barreira do som - acredita-se que um mercado promissor de homens de negócio e estrelas em ascensão poderão viabilizar um nicho de mercado de muitos milhões de dólares.

Aviao Jacto Voar Ceu Particular Luxo Concorde Air France British Airways

Para já, quem parece ter partido à frente foi a Aerion, através da venda do primeiro jacto ao Sheikh Rashid, governante do Dubay. O avião pode alcançar Mach 1.6 (cerca de 2000 Km/h) atravessando o atlântico entre New York e Paris em apenas 4.2 horas. Por apenas 80 Milhões de dólares, poderá também entrar na nova era da aviação supersónica privada.

Aviao Jacto Voar Ceu Particular Luxo Concorde Air France British Airways


obvious magazine

There are those that look at things the way they are, and ask why? I dream of things that never were, and ask why not?
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do autor do artigo sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
version 2/s/tecnologia// @obvious, @obvioushp //obvious magazine