f/nazca e os anúncios da skol: impressos

 Publicidade Cerveja Skol Redondo FNazca Saatchi Mulher Anuncios

Resta pouca ou nenhuma dúvida quanto à fonte do poderio mercadológico das cervejas Skol: possuir ano após ano o título de cerveja favorita e mais consumida pelos brasileiros se deve a estratégias de criação, exposição e consolidação de conceitos-chave brilhantemente fixados ao produto: inovação, diversão, irreverência e juventude. Os responsáveis pela liderança massiva são os publicitários da F/Nazca Saatchi&Saatchi e o slogan que embrulha o sucesso tornou-se clássico instantâneo da publicidade nacional. Skol: a cerveja que desce redondo.

A empresa fundada na Inglaterra pelos irmãos iraquianos Maurice (actualmente Lord Saatchi) e Charles em meados dos anos 90 sob o nome M&C Saatchi, convertido em seguida para Saatchi&Saatchi, tem por clientes empresas como Hewlett-Packard, Johnson & Johnson, Procter & Gamble, DuPont, Phillip Morris e General Mills. O ano de 1997 foi de mudança de rumos para empresa, que saida de seu ecritório londrino para estabelecer-se na Houdson Street, em Nova Iorque, com uma nova diretoria. O momento coincide com a entrada da Saatchi&Saatchi na América Latina, particularmente no Brasil, onde, sob a presidência do publicitário Fábio Fernandes, firmaria contrato com a Skol Pilsen já agora com o nome F/Nazca Saatchi&Saatchi.

O histórico da cerveja Skol segue com bem menores sobressaltos que o de sua agência publicitária: lançada em 1964 pela empresa dinamarquesa Carlsberg (aliás, seu nome em sueco quer dizer “à sua saúde” - skål), chegou ao Brasil em 1967 com novidades como a lata de folha-de-flandres (1971). Foi ainda a pioneira no uso de latas de alumínio (1979), na venda de long necks com tampa de rosca, na feitura da lata de 500ml - o conhecido latão da Skol (1993) entre outras minúcias.

Todos esses ares avant-garde se tornaram o ponto principal a ser explorado pela F/Nazca; assim que a Skol Pilsen entrou para a sua lista de contas, os publicitários ampliariam ao nível estratosférico o, até então, somente intuitivo potencial inovador da marca. E como fizeram isso? A resposta à questão está ligada a análise do público alvo das propagandas Skol Pilsen.

Não é necessário ser um grande observador mercadológico para captar que os anúncios são sempre voltados para jovens entre 18 e 27 anos. Isso obviamente não significa que somente estes interessam, ao contrário, é assim um foco de expansão; os que se identificam com uma vida repleta de festas, música, praia, saúde, aventuras e, principalmente, belíssimas loiras, estão igualmente convidados a partilhar do conceito. Os que se identificam e os que também desejam se identificar.

Isso é perceptível se analisarmos que uma das primeiras ações de marketing da F/Nazca foi vincular a marca Skol a diversos eventos voltados a este grupo específico. Em pouco tempo, produziram uma série de shows e encontros musicais de grande peso no circuito musical-cultural no país, todos levando a grife da, já então, cerveja redonda: Skol Spirit, Skol Praia, Skol Rio, Skol Hip Rock, entre outros, e o carro chefe que é o Skol Beats; maior evento de música eletrônica da América Latina. Claramente esse tipo de investimento vem no escopo de um movimento mundial em que grandes empresas investem em festivais, mas a F/Nazca faz a Skol ir além forjando momentos psicológicos em torno de sua bebida. O ano de 2000, por exemplo, (ano da primeira edição do Skol Beats) ficou decretado e conhecido como O verão mais redondo do planeta. Ora, não imaginem senhores pais de família sendo público majoritário numa pista, dançando sob o comando do techno Paul Oakenfold. Dos jovens festeiros não emancipados aos que já engrenam suas carreiras profissionais - de preferências carreiras bem "descoladas": estes são o público Skol e quem mais quiser ser eles ou estar perto deles.

Mas, aos anúncios impressos. Todas essas tendências estão sintetizadas na série de impressos produzidos pela F/Nazca que, como os comerciais de TV da marca, irão se basear sempre numa linguagem inteligente e bem humorada voltada, em todas as instâncias, para o público masculino. Tudo bem, nenhuma novidade num mundo cervejeiro, mas percebe-se que as demais marcas têm se adaptado à presença crescente das mulheres (nunca à de homosexuais, deve-se dizer) entre os consumidores de cerveja, não a Skol. Sim, perceberam, mas permanecem com as mesmas campanhas visuais onde as belas e olímpicas mulheres são, junto com o futebol e a praia, o centro do universo mas, ainda assim, o fazem com tão profunda simpatia que tudo fica levado mesmo à esportiva. Têm nisso muito mérito.

Abaixo, alguns excelentes anúncios impressos veiculados pela F/Nazca para sua tão bem sucedida cliente. Destaque para as campanhas "se o cara que inventou a (nome da coisa) tivesse inventado a Skol, ela não seria assim (realidade da coisa). Ela seria assim (nova realidade "redonda" da coisa).

 Publicidade Cerveja Skol Redondo FNazca Saatchi Mulher Anuncios

071111_blog.uncovering.org_design_fnazca_skol_campanha01.jpg

 Publicidade Cerveja Skol Redondo FNazca Saatchi Mulher Anuncios

 Publicidade Cerveja Skol Redondo FNazca Saatchi Mulher Anuncios para o lançamento da garrafa longneck com tampa de rosca

Publicidade Cerveja Skol Redondo FNazca Saatchi Mulher Anuncios

071111_blog.uncovering.org_design_fnazca_skol_campanha3.jpg.jpg

Publicidade Cerveja Skol Redondo FNazca Saatchi Mulher Anuncios


priscilla santos

é adoradora de cervejas e colabora com a obvious.
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do obvious sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
x1
Site Meter