f/nazca e os anúncios da skol: televisivos


 Publicidade Cerveja Skol Redondo FNazca Saatchi Anuncios

Seguindo os mesmos passos de seus anúncios impressos para a empresa Skol Pilsen, os comerciais de TV da F/Nazca primam pela irreverência versando sobre um universo que já podemos imaginar: o dos velhos clichês vendedorescos masculinos, seus futebóis, mulheres e praias. Tudo poderia ficar no mesmo campo das coisas óbvias mas, o que realmente faz uma criação original, são as novas apropriações que se fazem dela. As novas visões, as novas perspectivas e uma produção inegavelmente cuidadosa e criativa - o que salta aos olhos - são o cartão de visita da conta de Fábio Fernandes. Some-se a isso estratégias de interação e empatia com o público, pontos fortes para a liderança da marca.

Falamos aqui em artigo anterior sobre alguns dos conceitos que norteiam as campanhas F/Nazca para a conta da cerveja Skol. Nos comerciais feitos para a TV podemos perceber que a fórmula permanece inalterada, a diferença é que aparece tanto mais alargada, já que o objetivo e a possibilidade de alcance público é muito maior. Aproveitam-se disso muito bem, criando empatia e identificação não somente com seu público-alvo mas com todos os admiradores de comerciais irreverentes e que exaltam uma certa identidade imaginária do ser-brasileiro.

Numa linguagem simples e acessível, a F/Nazca soube explorar mais de uma centena de loiras esculturais e, em ironia aos que execram esse exagero mulheril, ainda criou filmes (também impressos) mostrando mulheres indignadas; como o da esposa que chega à porta da cozinha enquanto o marido assiste à um comercial da Skol: mas por que eles sempre dão um jeito de colocar mulher em propaganda de cerveja, hein?, ao que o marido responde tanto hipnotizado pela modelo de biquini: eu nem reparei... mas eles colocaram homem também, amor. só que não ficou bom. Lógico; homem para a Skol, desce quadrado - mas o marido não é eximido tortada na cara.

Jingles de uma só frase (redondo, redondo, skol desce muito mais redondo), se misturaram a um improvável ET numa época em que foi febre na publicidade apelar para personagens lúdicos. O Conar - Conselho Nacional de Auto-Regulamentação Publicitária - não gostou nada e, em 2003, criou novas regras desestimulando o uso de animais humanizados em propagandas de bebidas alcólicas e cigarros. O alien da Skol saiu de circulação junto com a tartaruga da Antártica, o siri da Brahma entre outros; os bichinhos chamariam demais a atenção das crianças, pré-adolescentes e adolescentes.

Recuperaram-se logo e no ano seguinte estavam no ar com a grande campanha da "Ilha Quadrada". Para se ter idéia, na Ilha Quadrada as barracas eram separadas com rapazes para um lado e moças para o outro, vigiados, todos de moletom e a trilha sonora variava entre as musiquinhas acampamento e a música clássica. Se tratava na "verdade" de uma experiência para analisar o comportamento de jovens confinados numa ilha, sem a tal da cerveja redonda. Mas e quem diabos iria para a Ilha Quadrada?? Em filmes de formato reality-show, um apresentador ia para as ruas tentar arrebanhar cobaias para a experiência, mas como não obtinha sucesso, contava com a ajuda de seguranças imensos que arrastavam os abordados para a ilha. Tudo de brincadeirinha, mas encenado? Nada disso.

Em 2004, o atualmente publicitário, Felipe dos Santos, o Phill (será que somos parentes?) foi abordado pela equipe da Skol e contou no seu extinto blog Stopper "Claro que a exemplo das personagens do comercial, me neguei. No mesmo instante 2 seguranças me carregam para "supostamente" me internar na ilha, assim como no filme. Eles soltam logo em seguida e pronto, você foi filmado e deve assinar um termo de compromisso de imagem.". Phill ainda observou na época: uma ótima ação promocional, que coloca os consumidores de cerveja ainda mais perto da marca Skol.

A jogada da interação pareceu funcionar tão bem que, no verão de 2006-2007, a F/Nazca lançou sua campanha de cerveja mais indubidavelmente ousada até então: "o que você vai fazer neste verão, é o que vai contar para os seus netos". Os filmes chegaram a ter dois minutos de duração com imagens de jovens fazendo e acontecendo desvairadamente por praias, cachoreiras, no céu, onde mais for possível. Aventuras ou atos de sandice, pequenos grandes momentos de fraternidade, daqueles que guardamos para sempre na memória. Pronto, havia quem chorasse com os comerciais - embalados por uma musiquinha das mais simples e pegajosas baseada somente num "lá lá lá, hey". O verão é agora, o que você vai contar para os seus netos?. Sem deixar barato, os consumidores ainda foram convidados a mandarem seus próprios vídeos de "verão Skol"; os escolhidos foram incorporados a algumas chamadas. Sucesso absoluto, e mais uma dúzia de prêmios para as prateleiras da FNazca S&S.

Houve ainda os comerciais promovendo eventos da marca, particularmente o Skol Beats que em todas suas edições recebe atenção especial com divulgação maciça tão cuidadosa quanto a dos demais comerciais. Destaque absoluto para o filme da última edição Skol Beats, o "Mestre dos Vinis" mostrando um templo da artes marciais tornado templo da música eletrônica.

Entre as demais campanhas, estão aqui destacadas a da "Musa do Verão", não... ela não é uma musa única e inatingível, porque, se o cara que a inventou bebesse Skol, ela seria completamente democratizada. A atriz Bárbara Borges figura como a bela loira ao alcance de todos. Ainda o comercial do "bingo" mostrando os velhinhos muito animados com cerveja e ovinhos de codorna; brilhante e provocadora.

O último é a recém-veiculado comercial do Código Redondo, ainda tanto encoberto, mas que promete revelar o segredo da cerveja Skol; um segredo guardado desde a Idade Média pelos Cavaleiros da Távola Redonda, pelos Templários, perdido entre os indígenas na época da descoberta do Brasil e finalmente encontrado por um mestre cervejeiro. Mais uma vez podemos farejar novas estratégias de interação e captação de novos fiéis seguidores da cerveja-culto, estrela da F/Nazca Saatchi&Saatchi.

1. O Início da Experiência na Ilha Quadrada

2. Se o cara que inventou o bingo bebesse Skol...

3. A musa democratizada

4. O que você vai contar para os seu netos neste verão?

5. SkolBeats 2007


Priscilla santos

é adoradora de cervejas e colabora com a obvious.
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do autor do artigo sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
version 1/s/cinema// @obvious, @obvioushp //Priscilla santos