os comentários no obvious


Silencio Comentarios Blog Participacao Internet Tecnologia Moderacao

Recentemente o Carlos Cardoso - do excelente blog Contraditorium - publicou um artigo sobre a moderação de comentários e a forma como os utilizadores ainda novos pelas andanças dos blogs interpretam o facto dos seus comentários não aparecerem imediatamente num post. Para estes a conclusão é extremamente simples: "o meu comentário não apareceu porque eu fui censurado! Não há dúvidas! Fui censurado!"

Obviamente que quem vive o dia a dia de um blog com milhares de visitantes, compreende a praga que o SPAM assumiu nas rotinas diárias dos editores. São milhares de comentários que caem na categoria do SPAM. Actualmente aqui no obvious temos cerca de 1300 comentários diários oriundos de spammers que tentam salvar a sexualidade mundial com a venda de viagra e cialis.

Para controlar esta praga temos que nos munir de ferramentas que actuam de uma forma o mais automatizada possível, reconhecendo padrões e endereços previamente classificados como spam. Como é óbvio estas rotinas estão longe da perfeição e, na ânsia de não deixar escapar nenhum SPAM, alguns comentários legítimos são apanhados no processo, perdendo-se para todo o sempre.

O que me leva a escrever esta nota prende-se precisamente com esta problemática. Recentemente recebi um email de um amigo meu que se queixava do facto de nós nunca aprovarmos os comentários dele, e inquira se nós teríamos algum problema com o "tom" que ele empregava no comentário(!). Alguma investigação na plataforma e rapidamente concluí que os comentários dele estavam a ser classificados como SPAM e nunca eram vistos, quer por mim, quer pelo seven. Mas no processo de averiguação constatei algo mais chocante ainda. Para além do nosso amigo haviam centenas de comentários perfeitamente válidos que foram completamente obliterados. Lamentável.

Por esse motivo, em jeito de comunicado/pedido de desculpas, decidimos reduzir a "agressividade" das ferramentas automáticas de detecção de SPAM, impondo um controle mais manual do processo, na esperança de que tal situação não torne a ocorrer. Para as centenas de utilizadores que nos classificaram como ditadores, irascíveis e apologistas da censura, resta atestar a nossa boa fé e pedir o benefício da dúvida. Comentem livremente!


obvious magazine

There are those that look at things the way they are, and ask why? I dream of things that never were, and ask why not?
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/tecnologia// @obvious, @obvioushp //obvious magazine