O que é a Geração Y?



 Geracao Jovens Internet Evolucao Marketing Publicidade Emocao

O livro “Geração X” de Douglas Coupland marcou-me quando o li e levou-me a ler compulsivamente a maior parte das obras do autor. Embora situado noutro universo social e cultural, a vida e as preocupações das personagens eram as minhas e diziam-me muito. Descubro agora que existe já uma Geração Y e tento descobrir se, discretamente, consigo chegar lá.

Primeiro que tudo acho assustadora a escolha de letras. O facto de já irmos na Geração Y quer dizer que o fim do mundo se aproxima? Vamos dar a volta por cima (ou por baixo) e teremos uma nova Geração A? Não sei. Sei que os estudiosos do mercado definem a Geração Y como tendo entre 18 e 27 anos, com três características principais: estão continuamente ligados; falam a sua própria língua; são influenciados pelos seus pares. (Acho que há esperança para mim). Mais uma nota, que não é de rodapé: a Geração X foi descrita por um escritor e definida com subtileza pelas suas palavras, uma história, um conjunto de personagens. A Geração Y é definida pelo pessoal do Marketing. E é um sonho para o marketing. Estão sempre ligados, o que quer dizer que estão susceptíveis a ser permanentemente bombardeados por mensagens. Emocionalmente são inseguros, em busca permanente de reconhecimento e fama, emocionalmente numa adolescência perene que um dia lhes há-de formar a personalidade (mesmo que seja à base de iPods). Num segundo nível, a coisa é mais complexa. A sua atenção é mais difícil de agarrar, aborrecem-se com facilidade, exigem imediatismo e a mudança está à distância de um clique. Agora estão aqui. Daqui a um segundo já não. A sua linguagem é difícil de imitar e exige uma pertença difícil para quem está de fora, é muitas vezes dominada por um nonsense e por uma rede de referências culturais que se espalha como um fogo na savana. Num terceiro nível, a coisa piora definitivamente para o pessoal do Marketing. A Geração Y tem opinião. Pior que isso, tem muitas opiniões. E muda muito de opiniões. É fiel à opinião dos amigos e pouco fiel às marcas. Hoje é Nike, amanhã é Adidas, depois é Element e para a semana Carhartt. As suas tribos estão em constante mutação e interacção: Emos, Gamers, Punks, Alternativos, já nem sei quantos são... E ainda por cima... são criativos. Não criativos de uma maneira ordenada e fácil de compreender, mas numa lógica de nonsense sem limites. Este é o público de parte significativa da Internet. Em Portugal e no Brasil como no resto do mundo. Repararam como comecei a escrever frases curtas? É para não vos aborrecer. Paz.

luis soares

escreve e gostava de só fazer isso, mas não pode. Gosta muito de cidades, sobretudo as que têm menos insectos que o campo. É lisboeta inveterado e tem a mania.
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do obvious sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
v4/s
 
Site Meter