descobrindo sons inexistentes com um OTTO


som vibracao ouvir humano vibracao vibrar ouvido orelha OTTO madsounds

Todos os objectos que nos rodeiam murmuram pequenos sons; súbitos tremores e vibrações normalmente não detectados pela audição humana, causados pela actividade e movimento da vida diária.

Se esses sons fossem audíveis, de que forma eles influenciariam a nossa atenção auditiva e a percepção dos objectos aparentemente inanimados que nos rodeiam? Seria possível que encarássemos esses objectos como novos instrumentos em composições ou continuariam a ser um mero ruído de fundo na azafama diária?

O projecto Madsound é uma proposta diferente criada pelo Real Colégio das Artes. Pretende-se explorar novas formas de apreciar o ambiente, espaço e objectos, através da identificação, combinação e manipulação de sons aparentemente inexistentes.

Com esse propósito criaram o OTTO (orelha em grego), um dispositivo que permite auscultar sons escondidos e ténues. O seu funcionamento deve-se a um pequeno polímero piezoeléctrico que, quando em contacto directo com uma superfície, detecta a mais pequena vibração, transformando-a em som através de uma coluna integrada. Este dispositivo pode ser colocado em praticamente qualquer superfície através de uma solução de ventosas de sucção e ímanes. Colocando vários OTTOs em diferentes objectos poderão criar-se experiências sónicas diferentes e reinventar o nosso próprio ambiente.

som vibracao ouvir humano vibracao vibrar ouvido orelha OTTO madsounds

som vibracao ouvir humano vibracao vibrar ouvido orelha OTTO madsounds

som vibracao ouvir humano vibracao vibrar ouvido orelha OTTO madsounds

som vibracao ouvir humano vibracao vibrar ouvido orelha OTTO madsounds

som vibracao ouvir humano vibracao vibrar ouvido orelha OTTO madsounds

madsounds.blogspot.com


obvious magazine

There are those that look at things the way they are, and ask why? I dream of things that never were, and ask why not?
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do autor do artigo sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
version 2/s/tecnologia// @obvious, @obvioushp //obvious magazine