Alfinetadas nada democráticas


 China Chineses Militares Desfile Jogos Olimpicos Disciplina Agulhas Cruzes Alfinetes

É preciso admitir que criatividade não faltou para esta invenção lamentável. Usar alfinetes ou agulhas presas ao colarinho da camisa, foi uma técnica bastante imaginativa encontrada para que os pomposos desfiles militares do exército chinês sejam impecáveis. Afinal, quem quer arriscar o pescoço (de verdade) no ano dos Jogos Olímpicos? Tudo pela perfeição e sincronia de movimentos. Como os antigos domadores de animais, que infligiam dolorosos castigos para que ursos fizessem algum truque ou elefantes realizassem uma gracinha qualquer, estes jovens soldados aprendem que tudo é válido para se chegar a um resultado sem falhas. Com a diferença de que não ganham nem um biscoitinho como recompensa.

 China Chineses Militares Desfile Jogos Olimpicos Disciplina Agulhas Cruzes Alfinetes

Outra grande aliada dos alfinetes nos treinamentos militares, é a cruz de madeira. Ela garante que as costas irão ficar sempre retas e elegantes, sem dúvidas. Ao lembrarmos que estes soldados obviamente, marcham, imagine que prova de resistência: pescoço alfinetado, costas crucificadas e pés batendo forte os coturnos contra o chão. As imagens falam mais do que qualquer coisa e certamente garantem que o Exército de Libertação Popular da China não irá conquistar nenhuma medalha de ouro nestas Olimpíadas. E que sua forma de treinar, não tem nada de esportiva.

 China Chineses Militares Desfile Jogos Olimpicos Disciplina Agulhas Cruzes Alfinetes

 China Chineses Militares Desfile Jogos Olimpicos Disciplina Agulhas Cruzes Alfinetes

 China Chineses Militares Desfile Jogos Olimpicos Disciplina Agulhas Cruzes Alfinetes


andré montejorge

é publicitário, tem dois filhos e ama cozinhar. Edita o Bem Legaus além de colaborar com alguns blogs de várias nacionalidades. Pretende virar chef de cozinha e quem sabe manter um blog sobre culinária.
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do autor do artigo sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
version 2/s/recortes// @obvious, @obvioushp //andré montejorge