DESIGN CAKES: arte para comer


 DESIGN CAKES: arte para comer

A confeiteira Jeanne, de St. Petersburgo, encontra significados nos bolos que passam desapercebidos a maioria de nós: "bolos são um doce milagre, um pedaço da infância na seriedade do mundo adulto". Apaixonada confessa pelo doce, Jeanne comanda a confeitaria "Art Cake" onde produz bolos que são obras de arte.

E quem não gosta de uma comida visualmente atraente? Por ser ter uma receita relativamente simples e terem mil possibilidades de sabores, os bolos cruzaram séculos e culturas cumprindo, além da função de alimentar, a de ser uma peça afetiva nas famílias e outra social, que tem a ver com seu tamanho e os enfeites que levariam em cima (cobertura, flores, frutas...); nos casamentos, por exemplo, até hoje isso é importantíssimo.

 DESIGN CAKES: arte para comer

Mas esses bolos-arte conseguem perverter de maneira muito divertida todas essas coisas, inventando tortas que fazem referências a gostos, manias e momento dos homenageados. Assim, por exemplo, os confeiteiros americanos Eric Vass e Rufus são especialistas em bolos com motivos geek como o Mario Bros. e bolos em forma de consoles.

Alguns correm para extremos tanto mais estranhos. A designer inglesa Michelle Wibowo desenvolve, entre outros, projetos de tortas em forma de bebês para a comemoração de nascimentos e aniversários, mas é imaginar quem gostaria de comer uma cópia do homenageado. O intrigante trabalho ganhou até mesmo um vídeo que mostra como é preparada a escultura comestível.

 DESIGN CAKES: arte para comer

 DESIGN CAKES: arte para comer

Já casa Art Cake, é quase uma fábrica. Capaz de produzir os mais mirabolantes bolos já vistos, Jeanne e sua equipe. A temática é quase infinita, se deixando levar pelo gosto do cliente. De St. Petersburgo para toda a Europa partem tortas em formato de casas, pontos turístico, mapas, baús piratas entre outros. Todos sempre apresentados com uma nota de paixão perceptível que emana da artista – que, costuma publicar, além de sua galeria, dicas de massas e recheios, além de manter um pequeno blog junto com os demais confeiteiros.

Para a confeiteira brasileira Flávia Millás, esses bolos artísticos esbarram apenas em um inconveniente: podem ser visualmente maravilhosos, mas não tão saborosos... No exterior, argumento Millás, eles são acostumados a bolos sem recheio, mas esse não é o gosto do brasileiro. Nosso desafio é fazer esse tipo de coisa com recheio. Fazer só bonito é fácil, só gostoso também. O difícil é unir os dois". Ora, difícil mesmo é devorar esculturas tão impressionantes. Se bem que... nem tanto!


Priscilla santos

é adoradora de cervejas e colabora com a obvious.
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/design// @obvious, @obvioushp //Priscilla santos