Arte em forma de ar condicionado

Os aparelhos de ar condicionado estão a ficar mais bonitos. Fartos dos cubos cinzentos das cidades industriais (e não só!), há uma tendência de tentar torná-los mais visuais e até mais humanos. Alguns designers deram o mote e a LG já seguiu o exemplo.


 Arte em forma de ar condicionado

Estamos a assistir a uma nova moda: a chamada "artificação" de objectos obsoletos e de pouco valor visual. Alguma coisa como pegar na porta da casinha do gás e pintá-la às cores. Ou reproduzir um Picasso, um van Gogh ou um Klimt, como os que se vêem na imagem, na caixa de electricidade. Só porque sim.

O caso de hoje é o ar condicionado. Já reparou nas caixas volumosas que saem das janelas dos edifícios? Cinzentas, feias e aos milhares. Numa tentativa de tornar os aparelhos mais apetecíveis à vista e menos industriais, a LG criou a gama de ar condicionado ArtCool. Com estilo, inovadora e atraente, lembra-nos um ecrã plasma de televisão. Ideal para pequenos quartos e escritórios, o ArtCool é mais pequeno que os mecanismos convencionais e pode ser adquirido em várias cores e padrões.

 Arte em forma de ar condicionado

No entanto, este não é o único exemplo. James Glancy foi convidado a modificar o monstro que era o sistema de ar condicionado da National Magazine Company, em Londres. Decidiu então colori-lo, tornando-o um ponto de visita para turistas e uma agradável surpresa para os habitantes da metrópole.

 Arte em forma de ar condicionado

Outro designer que decidiu inovar nos ares condicionados foi David Billy, por iniciativa própria. Conhecido pela sua arte urbana, Billy transformou um aparelho abandonado e inútil numa televisão dos anos 90, feita de cartão. Chama-se Televox e chama a atenção dos transeuntes que passam por Brooklyn, Nova Iorque.

 Arte em forma de ar condicionado

Por fim, o captador de vento de Dunstable Downs, Inglaterra, não é bem um ar condicionado. Melhor: é um sistema que condiciona o ar de forma artesanal, já que não utiliza energia eléctrica. Trata-se de um bloco a 100 metros do Centro Chilterns Gateway que, levando o ar debaixo da terra até ao edifício, consegue refrescá-lo sem o uso de energias poluentes. A verdade é que não é nenhuma novidade, pois já é utilizado durante séculos na arquitectura persa. A novidade está, sim, na sua forma moderna que nos lembra um qualquer objecto de arte abstraccionista.

 Arte em forma de ar condicionado

 Arte em forma de ar condicionado

LG ArtCool, David Billy, James Glancy


Diana Caldeira Guerra

A Diana gosta de caracóis temperados no verão, canja de galinha no inverno e autores clássicos em todas as estações do ano
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/design// @obvious, @obvioushp //Diana Caldeira Guerra