Cemitério de navios em Angola

Entre 1961 e 2002, Angola viveu duas terríveis guerras. Durante esses anos, muitos navios foram abandonados em Luanda e rebocados para a praia de Santiago. Hoje, o imenso cemitério de navios se tornou um curioso ponto de encontro de banhistas que desfrutam dessa exótica paisagem banhada pelas águas do Atlântico.



 Cemitério de navios em Angola

Angola é um país em reconstrução. No ano de 1961, o país travou uma longa guerra colonial contra o domínio português. A independência foi conquistada em 1975, ano em que deu início a uma nova guerra, dessa vez civil, que se estendeu até 2002. Durante décadas, dezenas de navios foram abandonados aos arredores do porto de Luanda, o que provocou diversos constrangimentos para os barcos que desejavam atracar. Diante disso, para lidar com a situação, os navios abandonados passaram a ser rebocados para uma praia deserta, de nome Santiago, localizada a menos de 100Km ao norte do porto.

As carcaças somam mais de trinta embarcações, a maioria delas muito grandes, como o navio Karl Marx, petroleiro que mede seguramente mais de 70 metros, localizado a menos de dez metros da praia. Para chegar ao cemitério de navios, é desejável possuir um veículo 4x4 e recomenda-se cautela ao motorista quando estiver na orla, para não colidir com os barcos que repousam na areia.

 Cemitério de navios em Angola

Nos finais de semana, centenas de jovens se deslocam para passar o dia, embalados por música muito alta, isopores repletos de bebidas e um convidativo clima de paquera no ar. Embora o ambiente seja frequentado quase que exclusivamente por angolanos de até 30 anos, o lugar aparenta ter um forte potencial turístico e há quem esteja organizando visitas dada a curiosidade que o cemitério de navios desperta nos estrangeiros que tiveram o privilégio de visitar esta surpreendente paisagem.

Angola está se modernizando desde o fim da guerra, em 2002, e uma das apostas é no turismo. Além da riqueza histórica e cultural, o país conta com belezas naturais próprias da savana africana, assim como possui florestas verdejantes e até uma área desértica. Para quem gosta do inusitado, um cemitério de navios não se encontra todos os dias.

 Cemitério de navios em Angola

 Cemitério de navios em Angola

 Cemitério de navios em Angola

Este artigo é contributo de um leitor do obvious, Fernando Botto. Saiba como publicar um artigo.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do obvious sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
v6/s
 
Site Meter