kate mccgwire - esculturas de penas

Kate MaccGwire, através das suas incríveis esculturas com penas, faz menção a conceitos dentro da psicanálise até à contemplação do Belo e do feio dentro do nosso cotidiano. Pretende mostra-nos que nem tudo é o que parece ser.


pena pombo passaro kate mccgwire

Sempre existiram muitas argumentações entre o que é belo e o que é feio, invariavelmente sempre dependente do ponto de vista ou de um fenômeno cultural.

Desde 2007 que artista Inglesa Kate MaccGwire surge com a iniciativa de unir esses dois conceitos. Através de suas impressionantes esculturas com penas de pombos, busca resgatar a natureza da beleza e mostrar-nos que a idéia do belo, não necessariamente significa algo que somente encanta os sentidos; mas que também pode repelir e nos fazer questionar as coisas à nossa volta.

Os pombos da cidade que lotam o topo dos prédios, igrejas e calhas de galpões, são aves geralmente conhecidas como sendo sujas e transmissoras de doenças, podendo à primeira vista causar uma certa repulsa. É precisamente por esse motivo que Kate optou por utilizar as penas dessas aves como matéria prima em suas obras. Tipicamente, dispõe as penas nas suas esculturas de forma a causar uma impressão de algo líquido em movimento, como um fluxo de água.

O seu primeiro trabalho - Retch - não decorreu numa galeria de artes, mas sim, nos esgotos da cripta da Igreja de St. Pancras, em Londres. A idéia repelente de uma inundação de penas que saem do esgoto é propositada, mas ao mesmo tempo o observador compreende o conceito, e a repulsa transforma-se em admiração perante a obra que observa

ZZ5963D791.jpgZZ469B6EA2.jpg

Outra instalação - intitulada Heave - decorreu em 2008, desta vez na Fieldgate Gallery, também em Londres. Através de um buraco na parede jorra um fluxo de penas que se espalham pelo chão. A instalação segue o mesmo conceito; capturar a visão do espectador levando-o novamente a concepção do estranho e belo, fazendo-o rever idéias preconcebidas e preconceitos, assim como faz com os pombos.

pena pombo passaro kate mccgwire

pena pombo passaro kate mccgwire

Uma das grandes referências no trabalho de Kate vem de Freud e do seu artigo sobre a palavra Unheimlich, que significa inquietante. Esta referencia fica nítida numa das suas mais intrigantes obras - Vex - feita em 2009. Presa numa caixa de vidro, surge uma criatura que desafia os naturalistas a chegarem a alguma classificação. Metade serpente, metade ave, esconde seu rosto dentro de seu corpo causando uma sensação de completa estranheza e contemplação.

pena pombo passaro kate mccgwire

Diante de tantas penas, é inevitável perguntar-se por sua proveniência, porém, não se preocupe, nenhum pombo foi ferido no processo. Kate segue a idéia de coleta e reutilização, e grande parte das penas é angariada em armazéns abandonados e através de doações de criadores de pombos-correio.

O trabalho de Kate MaccGwire pode transmitir inúmeras sensações, porém nenhuma delas é a indiferença. O conceito que gera em torno da utilização das penas e o modo como o faz é surpreendente. Beirando uma perspectiva abstrata, transporta o espectador para dentro de um mundo, onde nem tudo é o que parece ser.

pena pombo passaro kate mccgwire

pena pombo passaro kate mccgwire

pena pombo passaro kate mccgwire

Conheça mais no site da kate mccgwire.


Dan devjacque

pensador autônomo que desde tenra idade teve a caneta na mão, e no colo um violão. Não acredita na sorte e crê que somente a arte pode enaltecer o espírito humano.
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do autor do artigo sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
version 3/s/artes e ideias// @obvious, @obvioushp //Dan devjacque
Site Meter