Glenn Brown - pintura distorcida

Difícil é criar de raiz algo novo, mas ainda mais o é criar algo novo a partir de uma base preexistente. Glenn Brown é um dos nomes maiores da pintura da sua geração. Aclamado e, muitas vezes, injustamente incompreendido, faz uso de obras de grandes nomes da pintura e da ilustração, reinterpretando-as e subvertendo-as à sua visão, ao seu mundo.


pintura pintor artista glenn brown Arian 5

Ironicamente, para um artista cuja arma principal é a distorção, Glenn Brown é, ao mesmo tempo que tem sido grosseiramente mal representado como pintor e criador, um dos pintores mais admirados da sua geração.

Nascido em 1966 na cidade de Hexham (UK), estudou em três conceituadas escolas londrinas, a Norwich School of Art, a Bath College of Higher Education e a Goldsmith's College.

Utilizando obras históricas e da cultura pop, as quais incluem pinturas de Dali, Auerbach, Baselitz ou Rembrandt, bem como peças de artistas desconhecidos que criam mundos imaginários que sustentam a ficção científica, Brown, como eles, tem em si o desejo de investigar as diversas linguagens da pintura.

No ano 2000 foi nomeado para o Prémio Turner e, surpreendentemente, acusado de plágio devido à obra 'The Loves of Shepherds', que tinha como ponto de partida uma ilustração capa de um livro de ficção científica de 1974. A acusação esteve nos antípodas da sua intenção artística.

O empréstimo de imagens é apenas o primeiro passo, sendo estas depois sujeitas a um processo lento e intuitivo. Durante meses, cada imagem é desconstruída, revelando-se aos poucos a natureza da visão de Glenn pela metamorfose e acumular contínuo das múltiplas versões da mesma. O pintor descreve o fim do processo criativo, não como um acabar, mas como um intervalo, uma paragem efémera, como que sugerindo que a imagem, objecto do seu trabalho, como a vida, faz parte de um fluxo perpétuo.

A sua habilidade e a bravura obsessiva da sua pincelada, alimentadas pelo fascínio sobre a forma como reproduções de pinturas podem ver distorcidas as suas qualidades originais, levam-no a um patamar que eleva a experiência humana, tão desvalorizada e vulgarizada nestes dias, entrando num jogo plástico de construção e destruição. Brown começa por projectar as reproduções numa tela em branco, seguindo-se a transformação do familiar em algo novo, por meio de alterações de tamanho, cor, textura e por fim, numa apoteose criativa, de todo o trabalho com o pincel.

pintura pintor artista glenn brown Seventeen Seconds

As 'amostras' – como gosta de chamar às suas referências –, são escalonadas, enviesadas, distorcidas e contrabalançadas pelas suas pinceladas precisas, numa justaposição de elementos que vão do kitsch ao sublime. Uma sinfonia de cor, sempre com um timbre sombrio.

Por debaixo das finas e planas superfícies das pinturas espreitam, como num lago, profundidades e texturas, descritas ainda que escondidas e privadas de massa visível. Nas suas temáticas escabrosas, a História gira entre o real e o vácuo de um mundo outro. Figuras irreais parecem liquefazer-se a cada pincelada, num misto de decadência e crescimento. Reflexos mórbidos sobre visões grandiosas e grandes gestos. Vida, morte, mito e cliché, cruzam-se na única parte do mundo físico que os pode suportar.

O processo criativo característico de Glenn Brown, temperamental e objectivo apenas na sua subversão, deriva do desejo de explorar, examinar e perverter, à semelhança da tinta nos seus quadros, as camadas e camadas da História. É assim, capaz de recolher e pegar nas referências da pintura e da história cultural, passadas e presentes, e criar um mundo carnavalesco e bizarro onde o irracional e racional, abstracto e concreto, visceral e composto, o belo e o grotesco são indissociáveis.

A sua evocação de imagens de escolha precisa, e a fusão nestas de estilos díspares – do Rococó ao Maneirismo, do Expressionismo, do Realismo ao Surrealismo –, perturbam estas distorções sofisticadas, capazes de evitar que as fontes originais nunca sejam verdadeiramente fixadas ou identificadas, obrigando a mutáveis interpretações.

pintura pintor artista glenn brown Harpy

pintura pintor artista glenn brown Senile Youth

pintura pintor artista glenn brown The Great Masturbator

ppintura pintor artista glenn brown Hinterland

pintura pintor artista glenn brown Misogyny

pintura pintor artista glenn brown Theater


alexandre romero

um cidadão do mundo. Classicista, escritor, fotógrafo, pintor experimental, o homem dos mil ofícios.
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do autor do artigo sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
version 2/s/artes e ideias// @obvious, @obvioushp //alexandre romero