joana vasconcelos, tradição e modernidade

Azulejos azuis. Croché e bordados. Figuras religiosas. Corações de Viana. Garrafões de vinho. Joana Vasconcelos soube demonstrar a portugalidade (e outras tantas coisas que não dizem respeito só aos portugueses) e expô-la ao mundo, sendo a artista portuguesa de maior relevo da sua geração.


arte artista portugal tradição

Joana Vasconcelos é provavelmente a artista contemporânea portuguesa mais conhecida nos dias que correm. Nome incontornável da sua geração, tem um estilo próprio para se expressar: usando materiais diversos do quotidiano cria formas que nos são simultaneamente estranhas e familiares.

Vasconcelos nasceu em Paris em 1971 mas estudou, vive e trabalha em Lisboa. Em 2000 venceu o prémio EDP Novos Artistas e em 2006 o prémio "The Winner Takes It All". Expõe, regularmente, em Portugal e no estrangeiro, desde meados da década de 1990.

As suas peças são já bastante conhecidas, mas vale a pena recordar as mais emblemáticas: "Noiva" é um enorme candelabro composto de tampões OB; as peças "Coração Independente" são réplicas enormes das famosas jóias de Viana do Castelo, compostas por talheres de plástico moldados; "Cinderela" é um sapato gigante composto por panelas; "Contaminação" é um emaranhado de trapos com cores berrantes que se estende em vários metros de comprimento. Famosas são também as suas figuras de porcelana, normalmente religiosas e totalmente cobertas por croché.

É claro pela sua já recheada obra, que Joana Vasconcelos usa referências culturais, objectos quotidianos e materiais e técnicas populares. Cruzando tradição e modernidade, é das poucas artistas que conseguiu o difícil equilíbrio desta dicotomia mantendo-se fiel à essência do "ser português" e procurando na História e nos costumes lusitanos um complemento para o seu trabalho. Definitivamente, uma artista cujo percurso merece ser seguido.

arte artista portugal tradição

arte artista portugal tradição

arte artista portugal tradição

arte artista portugal tradição

Joana Vasconcelos


Diana Caldeira Guerra

A Diana gosta de caracóis temperados no verão, canja de galinha no inverno e autores clássicos em todas as estações do ano
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do autor do artigo sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
version 4/s/artes e ideias,wide// @obvious, @obvioushp //Diana Caldeira Guerra
Site Meter Site Meter