animais no mapa do metrô

Enquanto analisava o mapa do metrô de Londres, Paul Middlewick encontrou um elefante. E a brincadeira tomou proporções que nunca imaginara: fundou um site com divertidas gravuras de animais encontradas nas complexas linhas do metrô.


animais londres metro subterraneo tube Elefante

Em Londres, no ano de 1988, Paul Middlewick cumpria, de metrô, sua jornada diária de casa para o trabalho. Olhava distraidamente para o já conhecido mapa e, da mesma forma que enxergamos representações terrenas nas nuvens, encontrou um elefante nas linhas do metrô. O jogo não acabou por aí: aproveitando estações, ligações e o vasto número de extensas linhas sobrepostas, logo viu surgir silhuetas de animais como morcegos, flamingos, cachorros e baleias.

Anos depois, com o advento da internet, fundou um site que reúne um, digamos assim, "zoológico subterrâneo". A simples ideia gerou uma página que hoje recebe em média 700 mil visitas por mês. O projeto foi além das telas dos computadores e já permeou jornais e revistas de várias partes do mundo, chegando a virar um jogo num jornal que circula nas estações de metrô de Londres.

No site, além da galeria de imagens, vendem-se camisetas, canecas e um livro. Há também um jogo onde o visitante pode tentar descobrir novos animais. És capaz de deixar a imaginação fluir a tal ponto?

animais londres metro subterraneo tube Peixe

animais londres metro subterraneo tube Cão

animais londres metro subterraneo tube Rinoceronte

animais londres metro subterraneo tube Urso Polar

animais londres metro subterraneo tube Foca

animais londres metro subterraneo tube Gato

animais londres metro subterraneo tube Flamingo

animais londres metro subterraneo tube Boi

animais londres metro subterraneo tube Baleia

animais londres metro subterraneo tube Galo

animais londres metro subterraneo tube Veado

Fonte


deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do autor do artigo sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
version 1/s/artes e ideias// @obvious, @obvioushp //sergio coletto