islândia - erupção do vulcão Eyjafjallajokull

Pelos padrões geológicos, a erupção do vulcão Eyjafjallajokull é relativamente pequena, já pelos padrões humanos, é desconcertantemente devastadora. E rende incríveis fotografias.



erupcao europa islandia montanha vulcao

O curioso nome Eyjafjallajokull é resultado da justaposição dos três substantivos: eyja, fjalla e jökull, que significam, respectivamente, ilha, montanha e geleira, ou, numa tradução livre, “geleira da montanha da ilha”. Atualmente famosa, a pequena cadeia de Eyjafjallajokull antes passava despercebida por viver à sompra da imponente geleira de Mýrdalsjökull, que sempre foi conhecida por ser uma das maiores do mundo.

Geologicamente, a Islândia é bastante nova, mas, para os padrões humanos de contagem de tempo, não. Segundo historiadores, a ocupação do território começou no ano de 874, pelos primeiros imigrantes noruegueses e irlandeses, que se espalharam por diversas partes do arquipélago formando povoados como o de undir Eyjafjöllum – que pode ser traduzido como “embaixo do Eyjafjalls”. Situado na base do vulcão, próximo à cordilheira, seus moradores estão acostumados com a intensa atividade sísmica da área, mas não contavam com as erupções, já que as últimas aconteceram entre 1821 e 1823. Esse intervalo de 187 anos é suficiente para os geólogos classificarem o Eyjafjallajokull como uma área de intensa atividade vulcânica.

As fotos que vemos aqui foram tiradas a 30km da cratera. Não era permitida maior proximidade, mas, mesmo assim, expressam o poder de devastação das erupções. A quantidade de cinzas lançadas no ar é impressionante.

Os vulcões estão significativamente presentes no folclore islandês. Personagens e deuses ligados às crateras permeiam o imaginário popular há muitos séculos e estão mais vivos do que nunca, já que estas últimas atividades são as mais intensas desde a última Era Glacial.

Na cultura nórdica, as crateras representam a morada de entidades superiores ou até mesmo um meio de comunicação destas com os humanos. Sagas islandesas narram histórias de vilas que funcionavam em detrimento dos majestosos vulcões, e as erupções eram consideradas um castigo: como se a natureza se mostrasse imponente, sempre superiora à ação do homem. Nada muito diferente de hoje, visto o caos na aviação civil e a repercussão que os fenômenos naturais causam nas ordinárias atividades do mundo globalizado.

erupcao europa islandia montanha vulcao

erupcao europa islandia montanha vulcao

erupcao europa islandia montanha vulcao

erupcao europa islandia montanha vulcao

erupcao europa islandia montanha vulcao

erupcao europa islandia montanha vulcao

erupcao europa islandia montanha vulcao

erupcao europa islandia montanha vulcao

erupcao europa islandia montanha vulcao

Fontes: 1 | 2

sergio coletto

está convencido de que vai entender o mundo através de papéis velhos e amarelados.
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do obvious sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
v1/s
 
Site Meter