cartazes modernos com um toque retro

Tom Whalen foi criado pela avó e a sua personagem preferida é o Homem-Aranha. Resultado: os seus trabalhos em ilustração têm tanto de retro, como pela Marvel.


dc desenho ilustracao marvel tom whalendc desenho ilustracao marvel tom whalen

Tom Whalen começou por trabalhar em ilustração por influência da avó, que cuidava dele aos domingos à tarde. Como tinha uma loja de doces e não dispunha de grande tempo para o neto, ele passava grande parte das tardes a ler livros de banda desenhada que estavam espalhados pelo estabelecimento para os clientes.

Inspirado nesses livros, Tom começou a passar horas a tentar imitar esses desenhos e, pouco a pouco, começou a fazer as suas próprias ilustrações. Tinha descoberto a sua vocação: sem nenhuma formação académica - que só obteve mais tarde na universidade - fazia personagens inspiradas nos desenhos da Marvel e da DC.

dc desenho ilustracao marvel tom whalendc desenho ilustracao marvel tom whalen

Hoje o americano tem 36 anos e o seu estilo de ilustração é algo que mistura os cartazes de propaganda e cinema, os livros de banda desenhada, a cultura pop e a iconografia religiosa. Apaixonado tanto pelo desenho como pela tipografia, o resultado são cartazes com um aspecto bastante vintage.

Para temática, escolhe temas populares: Star Wars, Feiticeiro de Oz, Drácula, The Thing e The Fly são alguns dos filmes recriados por Tom, que já admitiu numa entrevista estar com falta de tempo devido ao grande número de pedidos que recebe e convites para participar em exposições. De resto, todos os seus trabalhos são bastante retro: formas precisas e cores com grande tendência para o castanho. Isto é o que dá ter sido criado pela avó.

dc desenho ilustracao marvel tom whalendc desenho ilustracao marvel tom whalen

dc desenho ilustracao marvel tom whalendc desenho ilustracao marvel tom whalen


Diana Caldeira Guerra

A Diana gosta de caracóis temperados no verão, canja de galinha no inverno e autores clássicos em todas as estações do ano
Saiba como escrever na obvious.
version 10/s/artes e ideias// //Diana Caldeira Guerra