as técnicas cinematográficas de inception (A Origem)

O que dizer sobre uma experiência sensorial que não lhe pede licença, que invade seus ouvidos e sua visão, ativando sua percepção e seu raciocínio? Não, não são drogas ou alguma experiência científica, é apenas Cinema, minha gente!


christopher inception nolan origem

Inception, escrito e dirigido por Christopher Nolan (autor de Memento e Batman – Dark Night) com orçamento de 200 milhões de dólares e polêmicas de números ainda maiores, foi a obra mais marcante de 2010 até então. Caracteriza-se basicamente pela junção de ação – já conhecida pelos filmes de James Bond, efeitos especiais refinadíssimos e impactos psíquicos ainda não desvendados.

O roteiro de Christopher Nolan é sem ineditismo algum e cheio de referências como Matrix, Charlie Kaufman, Freud, dentre outros; mas ainda assim não perde seu valor por isso. Muito pelo contrário: é conciso, direto. Digamos que ao ter referências tornou-se fácil o trabalho de aproveitamento, reciclando para o produto apenas as boas idéias. Creio que sem a montagem utilizada, o refinamento estético e a música, este roteiro seria apenas mais um experimento psicanalítico qualquer.

O que nos vem, inevitavelmente, à cabeça ao fim do filme é "que alívio". O conjunto montagem, música – do mestre Hans Zimmer – e ação são arquitetados para tirar o fôlego. As cenas foram meticulosamente sonorizadas, segundo o próprio diretor, com o intuito de alargar ainda mais a emoção das sequências.

Em momento algum a montagem deixou a desejar, cumprindo seu papel lado-a-lado com a trilha, dando ritmo ao filme. Então, entendam que o respiro de alívio ao final do filme não é negativo, mas sim como um orgasmo, intenso e relaxante, perfeitamente cabível após quase duas horas de suor. Ao nos recordar da sequência final, onde o desafio do editor do filme era organizar os três níveis de realidade corridos em formas temporais diferentes, percebe-se a existência de uma linha tênue entre tornar a sequência desconexa e fazer com que fosse genial.

christopher inception nolan origem

christopher inception nolan origem

Não deixemos de lado as questões estéticas e tecnológicas. Nolan gastou rios de dólares pelo prazer do derretimento instantâneo diante da tela, mas não sem motivações. Efeitos mil, de retoques impecáveis, se constroem e se destroem a todo instante diante de nossos olhos: como um mundo de possibilidades, representando fielmente o que vem a ser um sonho. A construção estética pela Direção de Arte e Direção de Fotografia, em alguns momentos surrealista, cumpre o papel de representar o infinito da mente humana, que é domado a todo momento pela figura do Arquiteto, responsável por tornar "real" o universo do inconsciente.

Grande parte do trabalho de Direção de Arte ficou a cargo dos Efeitos Especiais, onde podemos encontrar a presença do Chroma Key (http://en.wikipedia.org/wiki/Chroma_key) e de grandes estruturas metálicas usadas para movimentar os cenários. No nível ártico do filme, onde acontece uma guerra no gelo, e onde também seria impossível a construção de cenários, o recurso usado foi a construção de reduções em maquetes que se são filmadas e intercaladas com tomadas feitas em verdadeiras regiões de gelo.

christopher inception nolan origem

christopher inception nolan origem

E segurando toda a parafernalha tecnológica e toda energia gasta durante o filme, fez-se a necessidade de um caminhão que capta energia solar e fomenta o set de filmagem. Sim, um caminhão. Daí já dá pra ter uma idéia do que significa um set de cinema.

O resultado de tudo isso? Uma das maiores experiências sensoriais da história do cinema hollywoodiano. O que podemos considerar um avanço se comparado com o histórico dos filmes americanos. Inception, assim como outros que vêm surgindo na contra-mão dos clichês – mas ainda dentro do cinema como indústria e se utilizando disso – tendeu ao hibridismo dos conceitos e se permitiu numa profunda – e cara – experiência cinematográfica.

Fontes das imagens: 1, 2, 3, 4, 5.


mariana beltrame

"Amante das cores pastéis. Humor de saúva".
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/cinema// @obvious, @obvioushp //mariana beltrame