1 Giant Leap - todas as culturas em uma única voz

Os microfones captam o sopro, as câmaras flagram o movimento dos corpos. Na harmonia sentida na alma as notas sobem e descem, assim como as mãos que acompanham a melodia. Há a batida do pé descalço no chão de terra, há o sorriso no rosto. E a música vai se formando pelas dissonâncias das vozes e instrumentos perdidos em extraordinária diversidade.


Jamie Catto Duncan Bridgeman 1 Giant Leap

Fundado pelos produtores musicais Jamie Catto (ex-membro fundador do Faithless) e Duncan Bridgeman, 1 Giant Leap é um projeto multimídia que consiste em percorrer o mundo em busca das mais variadas formas de manifestações culturais. Como uma verdadeira miscelânea artística, o projeto é uma troca de experiências por meio da música. Jamie e Duncan conseguem dar voz aos povos em prol da unidade, interligando uns e outros; ocidente, oriente, ricos, pobres. Em uníssono. E todas as cores. E todas as crenças. Em entrevista, via internet, Jamie Catto falou-me acerca de sua experiência nessa incrível jornada. “Eu adoro conhecer todas essas maravilhosas almas, ligar-me a elas e encontrar a unidade na diversidade. Isso torna-nos humildes.”. Muito mais do que um projeto, 1 Giant Leap é um ato de fé. Na música e nas pessoas.

O primeiro CD, homônimo, com o tema “Unidade na Diversidade”, lançado em 2002, foi apontado para dois prêmios “Grammy” (filme e álbum). O filme exibe o making of de toda a produção, com contribuições de diversos artistas, filósofos e autores como Dennis Hopper (RIP), Michael Stipe, Robbie Williams, Eddi Reader, Tom Robbins, Baaba Maal, Speech e Asha Bhosle, entre outros.

São tratados temas como sexo, Deus, amor, morte, liberdade, ódio, conflito, loucura e esperança. Existe um diálogo coletivo e um entendimento do outro como extensão de nós mesmos. Ao celebrar diferenças e semelhanças com a mesma intensidade, 1 Giant Leap causa, também, um enorme impacto social pelos lugares onde passa.

Em 2009 foi lançado o segundo trabalho, intitulado “What About Me?”, sustentando a mesma proposta do primeiro álbum. Com uma extraordinária competência técnica e belíssimas músicas em meio a filosofias, “What About Me?” é uma verdadeira celebração da diversidade humana e, do mesmo modo, tem a contribuição de artistas de peso, entre os quais estão Maxi Jazz, Alanis Morissette, Joseph Arthur, Ramata Diakite, Carlos Santana, Tim Robbins, Susan Sarandon, Ulali, Oumou Sangare ou Krishna Das, entre outros.

“What About Me?” nos convida à reflexão de quem somos. Um desafio à interação com nós mesmos e, sobretudo, com o outro. “Nós quisemos trazer inspirações inesperadas de todas as partes do mundo; filosofia, música e imagens. E temos feito isso. Eu sinto orgulho por milhares de pessoas terem visto os filmes e terem-nos escrito cartas bonitas, cheias de sentimento. Sinto-me conectado com o mundo. Isso é libertador”, revela Catto.

Jamie Catto Duncan Bridgeman 1 Giant Leap

Jamie Catto Duncan Bridgeman 1 Giant Leap

Jamie Catto Duncan Bridgeman 1 Giant Leap

Jamie Catto Duncan Bridgeman 1 Giant Leap

Jamie Catto é um apaixonado pelo que faz. Como diretor, produtor e catalisador criativo, é um artista multimídia. “Eu amo esses músicos e cantores maravilhosos e quero estar perto deles e fazer coisas com eles. Fico fascinado e inspirado diante de toda essa magia surpreendente que acontece. E isso está sempre disponível.”

Por causa da dimensão do 1Giant Leap, Catto trabalhou e teve contato com diversos músicos. Contou que recebe muitas inspirações de diferentes maneiras, e que todos têm algo a acrescentar à sua arte. Sua música é uma busca pela coragem, vulnerabilidade e imaginação. “A música me conecta ao sentimento, a parte de mim que não está imaginando, preocupando, planejando. Música também é uma das minhas únicas disciplinas. Eu preciso criar música, eu preciso me revelar e me doar como se fosse um pai.” Muito gentil e com boa vontade em conceder–me a entrevista, Jamie Catto aceitou a brincadeira e listou cinco artistas que não faltam em seu ipod: Aluta and The Mystics, 1 Giant Leap, Bob Dylan, Morricone e Alberto Iglesias.

Ouvir 1 Giant Leap nos faz sorrir. É inevitável a sensação de fazer parte de algo maior, algo com que nem sempre estamos ligados. E nos desafia. E nos intriga. Porque 1 Giant Leap expõe a todos nós, em nossa forma mais crua. Une-nos com o mundo. E o mundo inteiro canta, dança e verbaliza em uma única voz.

What About Me?

Fonte das imagens: 1.


rejane borges

Gosta das cores de folhas secas ao chão. E das cores das folhas velhas dos livros.
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do autor do artigo sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
version 8/s/música// @obvious, @obvioushp //rejane borges
Site Meter