Futebol de Mesa de Luxo, Minimalista

Há brinquedos e brinquedos. Há quem tenha retretes em prata na casa de banho (na casinha) e há quem use dentes de ouro e há quem goste de ostentar diamantes ou vestir os seus cães com roupas Louis Vuitton. Pode ser um luxo. Ou não… Pois bem: há matraquilhos (futebol de mesa) e matraquilhos. Vejam lá se isto não ficava bem na vossa sala de estar. 0k, um bocadinho de inveja nem sempre fica mal.



Futebol Mesa Luxo

Não é de futebol que estamos aqui a falar. Nem de vulgos matraquilhos. Neste jogo não há trombas de água que o impeçam de continuar. Aqui estamos a explorar um fenómeno chamado “Matrecos de Luxo”, ou “Futebol de Mesa de Luxo”. Uma mesa de pebolim onde não chove, onde só os jogadores mais bem pagos do mundo fazem parte das “fileiras” desta batalha épica futebolesca.

“Matrecos”, assim conhecido em Portugal, é uma redução e alteração de “matraquilhos”, termo que provém de “matraca” e supõe-se que assim se chama devido à semelhança entre o som das matracas (religiosas) e o som deste jogo de mesa. “Totó”, assim é conhecido na Bahia, no Rio de Janeiro, Minas Gerais, entre outros; “pebolim” – origem obscura – termo utilizado em São Paulo, Paraná e Santa Catarina; “pacau” ou “fla-fu”, no Rio Grande do Sul. Em Espanha utiliza-se o termo “futbolín” e, na Argentina, “metegol” (…) “Futebol para preguiçosos” – dizem alguns. Enfim: Futebol de Mesa, segundo a nomenclatura das federações nacionais deste jogo.

“Foosball”, nos Estados Unidos, para o “nosso” “fla-fu”, insere-se no nome deste surpreendente objecto de design – o Lux Minimalist Foosball. Esta mesa de “matraquilhos de luxo, com design minimalista” é o premium do pebolim. O minimalismo reduz os seus elementos ao fundamental, numa limpeza formal útil – um objecto. O luxo seduz o minimalismo e impera a contemplação; a arte do jogo é secundária. Todos os elementos desta mesa de futebol são em aço inoxidável, alumínio e vidro inquebrável (!), e totalmente personalizáveis, incluindo os bonecos que podem assumir 12 cores-metal diferentes, como por exemplo o “ouro-médio” ou o “cobre-lustro acetinado”.

Este “brinquedo” custa 19.319 dólares, ou seja, cerca de 14,300 euros, ou seja, cerca de 33,150 reais. Um belo elemento decorativo para se ter em casa, e que também dá para jogar. Como tem buraquinho para as moedas também o pode colocar no seu café ou bar ou discoteca e em cerca de 500 anos terá o seu investimento totalmente recuperado!

Futebol Mesa Luxo

Futebol Mesa Luxo Futebol Mesa Luxo

Ah!, claro, isto na prática, resulta num jogo que pode ser algo assim: “rotação do pulso com força média e bola colocada com máxima precisão a meio campo, cinco jogadores em linha movimentam-se no terreno com uma sincronia inacreditável; a bola circula entre dois médios e ressalta constantemente entre ambas as linhas centrais. a táctica 2-5-3 parece estar, curiosamente, a funcionar para as duas equipas. o esférico é colocado num dos três avançados da equipa prateada. É um três para dois imperdoável (incrível como ambas as equipas têm vindo a cometer este erro defensivo durante toda a época).

O cruzamento é feito na vertical para o ponta-de-lança que, com uma “paradinha”, consegue iludir o defesa. Este, com um movimento de cintura para a frente e para trás tenta impedir o avançado de chutar, porém ele chuta e… “ripa na rapaqueeeeeeca”… não… redondinha ao lado (o árbitro recusa-se a assinalar pontapé-de-baliza, é como se os postes ocupassem toda a linha de fundo) e o jogo prossegue com uma intensidade quase surreal. o avançado recupera inesperadamente a bola, remata várias vezes contra a trave e… vai isolar-se? Não, não consegue, mas remata… e golo! é golo! (goooolo x4) (…) a bola desaparece (literalmente) “nas malhas” da baliza adversária. O guarda-redes nem sequer se atirou à bola. 5-3 é o resultado no marcador aos 4 minutos de jogo, e o jogo prossegue.

Aos 7 minutos da única parte desta paradinha uma tromba de água impede a continuidade do jogo. Esperem… tromba de água, não! Não é água, repete-se o fenómeno de tromba de cerveja que se tem vindo a verificar nestes intensos jogos… um fenómeno ainda em investigação pelos nossos meteorologistas (se ao menos tivéssemos um daqueles estádios Lux Minimalist parcialmente cobertos…).

Acaba-se então subitamente mais um esquizofrénico jogo. os espectadores abandonam o estádio e os jogadores permanecem em campo, atordoados na sua eterna resiliência".

miguel oliveira

; possui o cérebro na ponta dos dedos. Pinta palavras em ecrãs de computador com aquilo que sintetiza do mundo e diz possuir um rádio no lugar da cabeça.
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do obvious sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
x3
 
Site Meter