as manchetes dos momentos mais marcantes da história

Os grandes acontecimentos históricos fazem parte da nossa memória colectiva. Os jornalistas são, no entanto, aqueles que ajudam a construir essa memória, escolhendo, no meio da ansiedade do presente, as palavras para dar a conhecer os factos ao mundo. O que diria você se hoje tivesse que escrever a manchete do dia do crash de Wall Street ou da morte de John F. Kennedy? Veja aqui capas de jornal históricas do século XX.


manchete jornal momento marcante historiamanchete jornal momento marcante historia

Os jornalistas dão-nos a conhecer o que se passa à nossa volta. Moldando a nossa memória colectiva, eles procuram as notícias com o seu faro particular, dando a conhecer o mais importante aos seus leitores (uns melhor que outros). O quê, o quem, o quando e o onde. E depois, o porquê e o como. Eles escolhem o lead, montam o corpo do texto e escrevem as palavras iniciais do título junto da fotografia. E há sempre aqueles dias na vida de um jornalista que marcam a sua carreira e a sua vida. São aqueles dias de que não apenas os profissionais dos media se recordam: também todos os cidadãos, que lêem as manchetes dos jornais e os guardam para mais tarde mostrarem aos filhos e aos netos. São aqueles dias em que sabemos que história foi feita.

Como escolher as palavras certas? Que fotografia colocar na capa? Como conjugar as imprescindíveis letras gordas ao tanto que se tem a dizer? Dependendo do assunto e da época, podem ser mais ou menos palavras. O sensacionalismo joga com a informação e cada jornal tem o seu estilo próprio de dar a notícia...

Simples e objectiva foi a notícia no dia em que Elvis Presley morreu, a 16 de Agosto de 1977. O The Sun noticiava "King Elvis Dead" com um subtítulo de "He was 42 and alone". Poucas palavras a encherem a capa do jornal, mas, mesmo assim, não faltou uma referência ao título de "rei do rock'n'roll", ícone de uma geração.

Na mesma década, duas palavras mexeram com os sentimentos de todo um país: "Golpe Militar", lia-se na primeira página do jornal português "A Capital", aquando da queda de uma ditadura que durava há quase 50 anos. Sem nenhuma fotografia, o periódico referenciava o "Movimento das Forças Armadas" e a sua acção de madrugada.

manchete jornal momento marcante historia

manchete jornal momento marcante historia

As notícias dos falecimentos de personalidades conhecidas são muitas vezes do maior interesse e os jornais não as enfeitam. Aconteceu assim na morte de Hitler, de John F. Kennedy, de John Lennon e da Princesa Diana. Décadas diferentes ditaram o tratamento do assunto, tal como os níveis de importância. "Hitler Dead" foi a expressão escolhida para dar a conhecer ao mundo a certeza do final de uma das épocas mais obscuras da História da humanidade. Palavras semelhantes foram mais tarde utilizadas para descrever o desaparecimento da princesa do povo. Já a morte de John Lennon é descrita de forma mais sensacionalista pelo "Daily Mirror" e a de John F. Kennedy inclui mais informações, devido às suas implicações políticas.

manchete jornal momento marcante historia

manchete jornal momento marcante historiamanchete jornal momento marcante historia

E existem outras, muitas outras manchetes dignas de atenção. O naufrágio do Titanic fez a capa do "The New York Times" em 1912, tal como a primeira missão da NASA na Lua, em 1969. Mais recentemente, o ataque terrorista às torres gémeas em 2001 fez manchete com "War On America", tal como a eleição de Barack Obama, o primeiro presidente negro dos EUA, com "The world has changed", em 2008.

manchete jornal momento marcante historia

manchete jornal momento marcante historia

Fontes das imagens: 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9.


diana guerra

é normalmente zote, mas dizem que também se interessa por arte, cultura e essas coisas óbvias.
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do obvious sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
x5
Site Meter